O belga Thierry Neuville assumiu-se hoje feliz por se ter tornado o primeiro piloto belga a vencer o Rali de Portugal, onde a Hyundai também nunca tinha vencido, antevendo uma “festa rija”.

“Foi fantástico, o carro esteve perfeito e senti sempre o apoio da equipa durante o fim de semana. Eles fizeram um trabalho incrível, bravo para eles. Eu sabia que podíamos conquistar mais pontos na ‘power stage’, mas os pneus não estavam no melhor. Mesmo assim tentei e consegui quatro, enquanto o Sébastien [Ogier] não conseguiu nenhum. Foi uma boa manobra no campeonato. A festa vai ser rija”, afirmou Neuville.

O belga de 29 anos impôs-se nos troços do norte do país, deixando os Ford Fiesta do britânico Elfyn Evans e do finlandês Teemu Suninen na segunda e terceira posições, a 40 e 47,3 segundos, o que lhe valeu a subida ao primeiro lugar do Mundial, com 119 pontos.

Com os 25 do triunfo no rali e os quatro da ‘power stage’, em Fafe, Neuville ultrapassou Sébastien Ogier, pentacampeão do mundo e da prova lusa, assegurando uma vantagem de 19 pontos, quando estão disputados seis dos 13 ralis do ano, mas antevê dificuldades, já no Rali da Sardenha, em Itália.

“Vai ser um bom desafio, mas todos os pontos que conseguirmos vão ser importantes”, advertiu.

Depois do segundo lugar no Rali de Portugal de 2017, Neuville inscreveu o seu nome na lista de vencedores, após um fim de semana “muito duro, com boa velocidade e sem erros”, como o próprio resumiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.