O campeão mundial de ralis, Sébastien Ogier (Citroën), terminou hoje no comando do rali de Monte Carlo, primeira das 14 provas do calendário, com dois segundos de vantagem sobre o belga Thierry Neuville (Hyundai).

Os dois rivais e principais animadores dos últimos campeonatos têm demonstrado um andamento à parte dos restantes concorrentes. O estónio Ott Tanak (Toyota), que começou o dia na frente após as duas especiais disputadas na quinta-feira à noite, sofreu um furo no sexto troço cronometrado, cedendo cerca de dois minutos. Terminou o dia em sétimo, a 2.34 minutos de Ogier.

O dia começou com a anulação da primeira especial, devido à grande concentração de público numa zona não delimitada, o que provocou protestos imediatos do finlandês Tommi Makkinen, diretor desportivo da Toyota.

"Defendi que as três especiais da manhã fossem canceladas, pois toda a nossa estratégia se baseava nesse princípio", explicou o antigo campeão do mundo. Em causa a escolha de pneus. Os pregos dos pneus de gelo poderiam fazer a diferença na primeira especial, em contraponto com os pneus ‘slick' [lisos], adequados para o asfalto mais seco que os pilotos enfrentavam a meio da manhã.

"Perdemos a liderança e ninguém se responsabiliza por isso", lamentou o finlandês.

Quem também foi prejudicado foi Ogier, que tinha escolhido pneus de gelo para a manhã. Aproveitou o belga Thierry Neuville (Hyundai) para subir à liderança a meio do dia com os pneus lisos.

A tarde trouxe nova mudança no comando da prova, quando Neuville falhou uma travagem e teve de passar pela escapatória, perdendo alguns segundos.

"Foi frustrante, porque nos impediu de segurar a liderança. Entrei demasiado depressa na curva e tive de ir à escapatória, perdendo 19 segundos", explicou o belga.

Neuville recuperaria algum terreno na última passagem por Curbans-Piegut, que encerrou esta sexta-feira, ficando a apenas dois segundos de Ogier.

"Apenas eu e o Thierry temos estado sem problemas na frente, mas em Monte Carlo as coisas podem mudar rapidamente", disse o campeão mundial.

Para este sábado, o piloto da Citroën promete "andar nos limites", o que "neste rali é mais seguro do que noutro qualquer".

O norueguês Andreas Mikkelsen (Hyundai) fecha os lugares do pódio, mas já a 1.17,7 minutos da frente.

O finlandês Jari-Matti Latvala (Toyota) é o quarto, a 1.25 minutos de Ogier, com o regressado Sébastien Loeb em quinto, apenas 0,8 segundos atrás de Latvala. O nove vezes campeão mundial de ralis somou os primeiros triunfos com a marca coreana, ao ser o mais rápido em dois dos cinco troços disputados hoje. "Pelo menos ainda estamos em jogo, apesar de já não ser para a vitória", frisou Loeb.

Este sábado, os pilotos enfrentam quatro troços cronometrados, com um total de 93,38 quilómetros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.