A Rússia teve hoje o protagonismo maior nos Mundiais de natação, que decorrem em Budapeste, ao ganhar três das cinco finais do dia, a que juntam a medalha de prata na estafeta 4x200 metros livres.

A derrota russa na estafeta, que só se decidiu no último percurso, foi uma das exceções da tendência do dia, com a outra a ser a confirmação do talento da norte-americana Simone Manuel, já campeã olímpica, nos 100 metros livres.

A texana, que encantou no Rio2016, fez a prova de ida e volta na piscina em 52,27 minutos e bateu a principal favorita, a sueca Sarah Sjöström.

O favoritismo pendia de facto para a sueca, depois de já nestes campeonatos de Budapeste ter feito um recorde mundial de 51,77 segundos, no primeiro percurso da prova de estafetas.

Sjöström perdeu por muito pouco (quatro centésimos), mas quem volta mesmo a festejar é Manuel, já ouro com os 4x100 metros livres, tanto femininos como mistos.

Quanto à onda russa, passou pelos 200 metros bruços femininos, 200 metros bruços masculinos e 200 metros costas masculinos.

Yuliya Efimova, de 25 anos, ganhou os 200 bruços em 2.19,64 minutos, a cerca de meio segundo do recorde do Mundo. Não é de todo uma novata e já em Barcelona2013 fora campeã.

A norte-americana Bethany Galat ficou com a prata e o bronze foi para a chinesa Shi Jinglin, a campeã de 100 metros bruços.

Em masculinos é que houve uma estreia, a de Anton Chupkov (bronze no Rio2016), que fechou em 2.06,96, recorde da Europa.

Seguiram-se dois japoneses, Yasuhiro Koseki e Ippei Watanabe, atual recordista mundial.

Também caiu o recorde da Europa dos 200 metros costas, para o jovem russo (20 anos) Yevgeny Rilov, que nadou em 1.53,61.

Superou no pódio os norte-americanos Ryan Murphy e Jacob Pebley, ficando o quarto lugar para outro russo, Kliment Kolesnikov, que passa a ser o recordista mundial júnior, com 1.55,14 minutos.

A natação russa masculina só 'fraquejou' nos 4x200 metros livres. Lideraram a prova até ao último percurso, mas aí tiveram de se vergar aos britânicos, que assim renovam o título. James Guy, campeão mundial de 200 metros em 2015, foi determinante, no quarto percurso.

Stephen Milne, Nicholas Grainger, Duncan Scott e James Guy nadaram para a vitória em 7.01,70 minutos, à frente de russos e norte-americanos. Os Estados Unidos, dominadores de 2005 a 2013, continuam a não conseguir recuperar o lugar de destaque.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.