Um dia depois de bater o recorde do mundo dos 100 metros bruços, nas meias-finais dos Mundiais, a decorrer em Gwangju, Adam Peaty confirmou ser o melhor na especialidade e 'arrastou' James Wilby para uma inédita 'dobradinha' britânica.

Com os 57,14 segundos de hoje, conseguiu o melhor resultado do dia, em termos absolutos, e ficou relativamente perto dos 56,88 da véspera, ele que era o grande favorito para mais um título mundial, o terceiro consecutivo - feito nunca antes alcançado, em bruços.

O feito do nadador britânico acabou por deixar um pouco para segunda linha a surpreendente vitória da canadiana Margaret McNeil nos 100 metros mariposa, e as vitórias esperadas do norte-americano Caaleb Dressel nos 50 metros mariposa e da 'eterna' húngara Katinka Hosszu na final dos 200 estilos.

Nos 100 metros mariposa o favoritismo ia para a sueca Sarah Sjöström, que chegava como campeã olímpica e tetracampeã mundial. Só que não teve forças para 'travar' a jovem Margaret MacNeil, de 19 anos, vencedora em 55,83 segundos, que se assumiu como "admiradora" da campeã destronada.

Ainda com tendência para continuar está Hosszu, apesar dos seus 30 anos. É já o oitavo título, quarto consecutivo. Com 2.07.53 minutos, deixou a chinesa Shiwen Ye a mais de um segundo.

A única medalha de ouro do dia para a grande potência que são os Estados Unidos chegou através do 'sprinter' Caaleb Dressel, primeiro nos 50 metros mariposa com 22,35 segundos, novo recorde pessoal.

É já o segundo título em Gwangju (esteve nos 4x100 metros domingo) e continua 'em andamento' para fazer melhor que as sete medalhas de ouro de Budapeste2017, algo só antes conseguido pelo lendário Michael Phelps, em 2007.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.