Os resultados conseguidos por Portugal nos Europeus de natação adaptada, que terminaram no último sábado, no Funchal, são um bom indicador para os Jogos Paralímpicos Tóquio2020, considerou o Diretor Técnico Nacional (DTN), Daniel Viegas.

“Claramente estes resultados são um bom indicador de que podemos lutar por finais e algo mais nos Jogos Paralímpicos”, afirmou o DTN após o final da competição, da qual Portugal sai com três medalhas, 19 presenças em finais, 14 recordes nacionais e um continental.

Daniel Viegas fez um “balanço muito positivo” da participação nacional na competição, que, lembrou, “foi a primeira após um longo período sem provas internacionais”.

“Os nossos nadadores apresentaram-se ao melhor nível, fazendo finais na maioria das provas, conquistando três medalhas, e conseguindo um grande número de recordes pessoais e nacionais”, disse.

Portugal fechou a competição, que juntou 380 nadadores, com três medalhas, com Susana Veiga a conquistar ouro nos 50 metros livres S9 e prata nos 100 metros livres S9, e Renata Pinto a conseguir o bronze nos 100 metros Brissos SB9.

“Os números são bastante favoráveis, e há muitos anos que não tínhamos uma campeã da Europa”, realçou o DTN, destacando os quartos lugares conseguidos por nadadores como Marco Meneses e Diogo Cancela e acrescentando: “Eles são jovens e têm bastante margem de progressão. Além disso, tiveram alguns problemas de saúde durante a preparação destes campeonatos”.

Com oito nadadores a marcarem presença no Funchal, e uma quota de cinco (quatro masculinos e um feminino) para os Jogos Paralímpicos Tóquio2020, a Federação Portuguesa de Natação (FPN) terá de aguardar pela atualização dos rankings do Comité Paralímpico Internacional para fazer a escolha.

A Ucrânia fechou a competição na liderança do quadro de medalhas, com um total de 84 subidas ao pódio (34 ouros, 28 pratas e 22 bronzes), seguida da Itália com 69 medalhas (26 das quais de ouro).

Em termos individuais, o bielorrusso Ihar Boki (S13) foi o nadador mais medalhado da competição com 12 presenças no pódio, arrecadando cinco ouros e sete pratas, seguido do ucraniano Maksym Krypak (S10), que conseguiu cinco medalhas de ouro e cinco de prata.

No setor feminino, a ucraniana Yelyzavela Mereshko (S6) terminou na liderança da lista das atletas com mais medalhas, ao conseguir um total de 14 medalhas, sendo quatro de ouros, duas de prata e oito de bronze.

Os Europeus da natação adaptada, que em 2016 também se realizaram na Madeira, tiveram a categoria ‘open’, pelo que contaram com a presença de nadadores de todo o mundo, e foram a última prova de apuramento para os Jogos Paralímpicos Tóquio2020, que decorrerão entre 24 de agosto e 05 de setembro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.