A Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Râguebi (FPR) aprovou hoje o relatório de atividades e contas de 2020 com um lucro de cerca de 2.000 euros, apesar de um aumento acentuado dos custos devido à covid-19.

Os 17 delegados presentes na reunião aprovaram por unanimidade o saldo positivo de 2.156,24 euros, resultado obtido apesar dos cerca de 200 mil euros gastos que não estavam previstos no orçamento.

Este valor, de acordo com a mensagem do presidente da FPR no relatório a que a agência Lusa teve acesso, dividiu-se entre 60 mil euros  “para dar cumprimento ao protocolo sanitário definido para que se pudessem realizar jogos” e ainda o “investimento e custos de produção da Rugby TV”, no valor de cerca de 140 mil euros.

“Face à impossibilidade de presença de público nos campos, a direção da FPR entendeu transmitir todos os jogos da Divisão de Honra, prestando um serviço público que julgamos ter sido muito importante na divulgação do jogo”, justificou Carlos Amado da Silva na sua mensagem aos delegados.

Além disso, o presidente da FPR referiu, ainda, uma dívida de “cerca de 50 mil euros” ao Stade Français, clube de Paris proprietário do estádio onde se realizou o Portugal-Geórgia do Europe Championship 2020, “decorrente de a receita de bilheteira ter sido muito inferior ao expectável” por o jogo se ter realizado no fim de semana “em que foi decretado o primeiro confinamento” na capital francesa.

Amado da Silva explicou, também, que a FPR continua a negociar com a Câmara de Paris, proprietária do Estádio Jean Bouin, o “esperado apoio que não se concretizou” e que foi apresentada à World Rugby e à Rugby Europe “documentação comprovativa” dos prejuízos causados pela pandemia no sentido de obter um “eventual apoio”.

O desafio em Paris foi, portanto, “um sucesso desportivo, que se traduziu num fiasco financeiro”, prosseguiu o dirigente, explicando que, devido à pandemia, “os bons resultados desportivos” não foram suficientes para impedir a “fuga de patrocinadores tradicionais, designadamente a Caixa Geral de Depósitos e a Superbock”, devido à pandemia.

Ainda segundo a mensagem de Amado da Silva, o râguebi português perdeu “cerca de 80% dos jogadores não seniores” que se encontravam inscritos na FPR.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.152.646 mortos no mundo, resultantes de mais de 149,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram  16.974 pessoas dos 836.033 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.