O jovem internacional português José Madeira, de 19 anos, disse hoje querer “vingar no râguebi francês”, depois de ter feito hoje o primeiro treino com a equipa do Grenoble, do segundo escalão profissional gaulês.

O ex-jogador do Belenenses chegou a França, na segunda-feira, para assinar um contrato de duas épocas e já deu início à preparação da nova temporada da Pro D2, que, este ano, deve arrancar apenas na primeira semana de setembro devido ao atraso provocado pela pandemia de COVID-19.

“Fui muito bem recebido. O clube tem muito boas instalações, é uma realidade diferente, um ritmo muito mais puxado, mas espero adaptar-me bem”, relatou à agência Lusa o 2.ª linha português, instantes após a primeira sessão de trabalho em território gaulês.

Para já, Madeira treina-se com a equipa principal do clube e com o objetivo de “fazer o máximo de minutos de jogo”, mas não está colocada de parte a possibilidade de alinhar em algumas partidas pelos ‘espoirs’ (sub-23) para poder colocar em prática a evolução que procura conseguir na sua nova realidade.

A oportunidade surgiu através do treinador de avançados da seleção portuguesa, Hervé Durquety, que “conhecia o diretor do clube” e colocou ambas as partes em contacto após o Rugby Europe Championship, do qual o dirigente francês disse que “assistiu a todos os jogos” da campanha de Portugal, que segue em segundo lugar, quando falta defrontar apenas a Espanha.

As boas exibições de José Madeira chamaram a atenção dos franceses e, após os primeiros contactos, o jovem campeão europeu sub-20 aconselhou-se com o selecionador de Portugal, Patrice Lagsiquet, que “conhece muito bem o râguebi francês” e teve recentemente palavras bastante elogiosas sobre o potencial do 2.ª Linha, durante o torneio das ‘Seis Nações B’.

“É um orgulho, mas o mérito não é só meu. Tive muitas pessoas que me ajudaram neste percurso, desde treinadores a dirigentes, mas fico muito orgulhoso por esse reconhecimento”, agradeceu José Madeira, dono de seis internacionalizações por Portugal.

A primeira época em França, sem dúvida, será de adaptação para o estudante de enfermagem, que pretende retomar os estudos assim que dominar a língua.

“Sei algum francês, mas não o suficiente para prosseguir já o curso. No primeiro ano vou apreender a língua, adaptar-me, e depois quero retomar o curso”, concluiu.

O Grenoble era terceiro classificado da Pro D2, segundo escalão profissional francês, no momento em que o campeonato foi interrompido, em março, devido à pandemia de COVID-19.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.