O selecionador de râguebi de Portugal disse hoje que não falou aos jogadores sobre ganhar o Europe Championship 2023 durante toda a competição, mas admitiu fazê-lo ainda antes da final com a Geórgia, no domingo, em Badajoz.

Em declarações à agência Lusa, Patrice Lagisquet revelou que entre o grupo de trabalho “só se falou do que é preciso melhorar” para chegarem “fortes e competitivos ao Mundial”, a partir de setembro, e lembrou que um eventual triunfo no ‘Championship’ resultará dessa evolução.

“Os resultados aparecem porque tentamos jogar um râguebi cada vez mais rápido e ser mais eficientes nos alinhamentos, no ‘maul’ e no ‘scrum’. Agora conseguimos terminar bem os jogos, mesmo não começando bem, como aconteceu com a Espanha, e isso é fundamental”, analisou Lagisquet.

Portugal disputa a final do Europe Championship 2023 contra a Geórgia, no domingo, no primeiro ano em que a principal competição europeia de seleções (com exceção do torneio das Seis Nações) se disputa com eliminatórias a seguir a uma fase de grupos.

A seleção portuguesa venceu o Grupo B com vitórias sobre Bélgica (54-17), Polónia (65-3) e Roménia (38-20), antes de afastar a Espanha (27-10), nas meias-finais, para marcar lugar na final, em Badajoz, contra os ‘lelos’.

A Geórgia, de resto, “é o adversário perfeito” para os ‘lobos’ ficarem a saber, nesta fase, “em que nível exatamente” se encontram, assumiu Lagisquet, que espera que a seleção portuguesa consiga ser tão competitiva contra este adversário como foi em julho, quando perdeu em Tbilisi, por 23-14.

Até porque, lembrou o treinador francês, Portugal “nunca jogou contra a melhor Geórgia” desde que assumiu o comando da seleção.

“Em fevereiro [de 2022] tinham vários jogadores ausentes com covid-19 e em julho jogaram antes com a Itália e ‘libertaram’ alguns jogadores após esse jogo. Desta vez vamos defrontar a melhor Geórgia e tenho a certeza que vão querer mostrar-nos que ainda ‘mandam’ no ‘Championship’ e que vai ser difícil vencê-los no Mundial”, advertiu o treinador.

Já os ‘lobos’ vão apresentar “uma equipa forte para competir” com os georgianos, apesar das ausências de Raffaele Storti e Nuno Sousa Guedes, que se lesionaram no desafio contra a Espanha, além de Rafael Simões, que “não conseguiu dispensa no trabalho”, e de Samuel Marques, que tem hoje “um jogo decisivo pelo Carcassonne”.

“Tenho a certeza que ele queria estar connosco e até me perguntou se não podia jogar hoje na Pro D2 e no domingo pela seleção. É impensável a este nível, claro, mas demonstra bem o nível de compromisso dele para com a seleção”, elogiou Lagisquet.

A final do Europe Championship 2023 de râguebi, entre Portugal e Geórgia, disputa-se no domingo, às 19:00 (hora de Lisboa), no Estádio Nuevo Vivero, em Badajoz.

Portugal vai tentar conquistar o principal título europeu da modalidade pela segunda vez no seu historial, após arrecadar o troféu em 2004, tornando-se na única seleção a ‘intrometer-se’ no domínio da Geórgia (15 títulos) e Roménia (cinco) desde que a competição começou a ser disputada, no ano 2000.

A Geórgia, que venceu o Grupo A contra Alemanha (75-12), Países Baixos (40-8) e Espanha (41-3), e superou a Roménia (31-7) nas meias-finais, é pentacampeã em título e venceu 11 das últimas 12 edições do Europe Championship.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.