Novak Djokovic é campeão de 2019 do torneio de ténis de Wimbledon. O sérvio travou uma batalha épica com Roger Federer, recordista de títulos na relva londrina, com oito troféus. Djokovic repetiu os triunfos de 2011, 2014, 2015 e 2018, ao vencer por 7-6 (7-5), 1-6, 7-6 (7-4), 4-6, 13-12 (7-3), em quatro horas e 55 minutos.

O sérvio venceu pela 16.ª vez um troféu do 'Grand Slam', aproximando-se do recordista Federer, que tem 20 'majors', mais dois do que o espanhol Rafael Nadal.

Veja as melhores imagens do encontro

Em Wimbledon, Djokovic, líder do 'ranking' mundial, tentava a sua quinta vitória, em seis finais no All England Club, depois dos triunfos em 2011, 2014, 2015 e 2018. Na meia final, o sérvio afastou Bautista-Agut, 22.º ATP, por 6-2, 4-6, 6-3 e 6-2.

Por seu lado, Federer, vencedor oito vezes na relva londrina (2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009, 2012 e 2017) e derrotado nas finais de 2008, 2014 e 2015, somou o 16.º triunfo em 40 jogos com Nadal, e apenas o quarto em 14 ‘duelos’ no ‘Grand Slam’, ao vencer também em quatro ‘sets’, por 7-6 (7-3), 1-6, 6-3 e 6-4.

Esta seria a versão número 48 desta rivalidade entre Federer e Djokovic, num ‘duelo’ que tem sido favorável ao sérvio - que venceu 25 vezes, contra 22 do helvético - na globalidade, e também em Wimbledon, onde ganhou ao suíço nas finais de 2014 e 2015 e perdeu nas ‘meias’ de 2012. Mas Federer chegava moralizado, depois de um categórico triunfo face a Nadal, que começou a ‘desenhar’ no primeiro ‘set’, que venceu mesmo sem quebrar o serviço ao espanhol.

Num jogo emocionante, o primeiro set só foi decidido no 'tie break', com Djokovic a vencer por 7-5 e terminar o set com 7-6. No segundo, veio ao de cima o melhor ténis de Roger Federer. O veterano jogador de 37 anos venceu por 6-1 e igualou o jogo.

O equilíbrio voltou ao jogo, no terceiro set, novamente decidido no 'tie break', novamente com vantagem para o sérvio (7-5), que assim venceu o terceiro set port 7-6.

Roger Federer mostrou o porquê de ser um dos grandes especialistas na relva e voltou a empatar o jogo, ao derrotar Djokovic por 6-4 no quarto set, atirando a decisão da final para o quinto e derradeiro set.

Aí voltou a reinar o equilíbrio que se tinha verificado nos dois sets ganhos por Novak Djokovic, com nenhum dos tenistas a quebrar o serviço ao rival. Roger Federer chegou a ter o título na mão, a servir e com três 'match service' mas falhou os três e permitiu o 'break' de Djokovic, quando o jogo estava 8-7 para o tenista helvético.

Aos 12-12, o encontro teve de ser decidido no 'tie break' e aí Djokovic voltou a levar melhor, vencendo este mini tie-break por 7-3, sagrando-se assim campeão em Wimbledon em 2019, a sua quinta vitória na relva britânica.

O sérvio venceu pela 16.ª vez um troféu do 'Grand Slam', aproximando-se do recordista Federer, que tem 20 'majors', mais dois do que o espanhol Rafael Nadal.

Este foi o 48.º encontro entre os dois tenistas, com Djokovic a somar o 26.º triunfo contra 22 de Federer.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.