O tenista australiano Alex de Minaur considerou que fez hoje uma excelente exibição no triunfo sobre o português Gastão Elias, na primeira ronda do Estoril Open.

"Joguei um encontro de alto nível, perante um adversário de alto nível, especialmente em terra batida. Estavam condições complicadas. Tentei ganhar muitos pontos longos, mantive-me sólido no primeiro 'set', depois no segundo joguei melhor. Estou contente com o nível", assumiu De Minaur, que recebeu um convite da organização.

O jovem australiano, de 19 anos e 111.º do mundo, derrotou Gastão Elias, 108.º, por 6-3, 6-1, em uma hora e 27 minutos, e vai defrontar na próxima ronda o britânico Kyle Edmund, terceiro cabeça de série.

"Conheço o Kyle, treino muitas vezes com ele. É um adversário de grande qualidade, que bate grandes bolas. Vai ser um encontro muito difícil, porque é um adversário de qualidade. Estou ansioso, vai ser divertido, vou dar tudo, depois vemos o que vai acontecer", referiu.

Radicado em Espanha desde os três anos, De Minaur está familiarizado com a terra batida, embora esta tenha sido a sua primeira vitória de sempre nessa superfície num quadro principal de um torneio do circuito ATP.

"Obviamente ao crescer em terra batida joguei muito nessa superfície. Nos últimos anos não tenho jogado assim tanto. Comecei o ano com boas vitórias e bom nível, e agora o que estou a tentar fazer é manter esse nível ao longo do ano, quaisquer que sejam as condições ou onde estou. É algo em que estou a trabalhar. Acho que hoje jogo bem em terra batida, estou a adaptar-me bem às condições, estou a mexer-me bem", referiu.

O Estoril Open vai permitir ao australiano cumprir um sonho de criança, uma vez que vai jogar ao lado do seu compatriota Lleyton Hewitt, antigo número um mundial, no torneio de pares.

"Amanhã [terça-feira] vai ser incrível. É algo que nunca pensei que pudesse acontecer, em especial porque cresci a tê-lo como ídolo e a admirando-o. Vou partilhar o 'court' com ele, vai ser muito especial", assumiu.

De Minaur lembrou que a sua primeira raquete era da mesma marca da de Hewitt, assumindo não ter palavras para descrever o tempo que tem passado com o capitão da Austrália na Taça Davis.

"Cresci a vê-lo jogar e a idolatrá-lo. (...) Estou a aproveitar cada segundo, isto é a minha vida, estar a jogar com uma das lendas do jogo, partilhar o campo, passar o dia todo com ele. É incrível", referiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.