Andy Murray não acredita que os jovens que estão emergir no circuito ATP possam destronar o 'Big 3' formado por Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic.

O tenista britânico comentou o desfecho do primeiro Grand Slam do ano em Melbourne.

"Não é o mesmo dar a cara numa final de Grand Slam que nuns quartos de final ou numa meia-final, quando enfrentas alguém que ganhou 17 títulos", referiu Murray, ele que já venceu três Grand Slam e perdeu cinco finais na Austrália.

"É muito intimidante e os rapazes mais jovens nem mostraram que estão perto. No US Open, o [Dominic] Thiem fez o que tinha a fazer para ganhar o torneio, mas se Djokovic não tivesse atingido essa juíza de linha, o resultado teria sido o mesmo que em Melbourne", prosseguiu.

Sobre o facto de não ter podido participar no torneio, devido a uma infeção por COVID-19, o britânico disse que não acompanhou muito o torneio.

"Vi muito pouco, porque queria ter estado lá e não pude. Deixei de seguir todos os tenistas nas redes sociais porque na verdade não queria ver o que se estava a passar lá", prosseguiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.