Depois de sair na primeira rodada do Open dos Estados Unidos, Andy Murray continua a tentar o regresso, num evento de Challenger em Rennes na segunda-feira, onde referiu que quer disputar partidas e melhorar a classificação.

"Obviamente, gostaria de tentar vencer o evento", disse o escocês que na segunda-feira derrotou o alemão Yannick Maden por 6-3, 6-1, na primeira ronda em Rennes.

"O mais importante, para mim, é conseguir partidas. Quero continuar a jogar, a competir e a habituar o meu corpo a jogar duas, três partidas numa semana outra vez."

Murray, que passou por uma cirurgia no quadril direito em 2017 e novamente em 2019, perdeu em cinco sets para Stefanos Tsitsipas, na primeira ronda em Nova York, onde o escocês conquistou o terceiro dos seus principais títulos em 2012.

"Um dos objetivos até o final do ano é tentar fazer uma grande melhoria na minha classificação e, para isso, preciso de competir com frequência", disse o jogador de 34 anos que está em 116º lugar.

"Ainda sinto que posso jogar a um nível muito alto, mas se sempre que vou para os grandes torneios jogo contra jogadores de primeira linha logo no início do evento, não é fácil."

"Os Challengers costumam ter bons jogadores. Temos três tenistas que estiveram entre os dez primeiros. Isso é bastante raro. Deve haver algumas boas partidas, e é bom para os adeptos vir e assistir aos jogadores franceses", disse Murray.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto