Pela primeira vez desde 2005, Rafael Nadal e Roger Federer vão defrontar-se nos EUA. E logo em Miami, onde teve lugar o primeiro dos 22 duelos já travados entre ambos, em 2004, com vitória, por 6-3, 6-3, de Nadal, então com 17 anos. Desta vez, os dois rivais vão discutir um lugar na final do Sony Ericsson Open.

Ontem à noite, Nadal cedeu um set diante do checo Tomas Berdych (7.º ATP), mas voltou a mostrar-se mais forte no final das duas horas e 17 minutos: 6-2, 3-6 e 6-3. O líder do ranking começou o encontro da melhor maneira, adiantando-se para 4-0, mas só voltaria a “quebrar” o serviço de Berdych no oitavo jogo do terceiro set, o que lhe permitiu servir a 5-3, para fechar o encontro. O checo podequeixar-se de não ter aproveitado os três break-points de que dispôs no set decisivo, mas o espanhol serviu muito bem nesses momentos. “O serviço salvou-me, o que não é nada habitual. Há quatro anos, isso não teria acontecido”, admitiu Nadal.

Já Federer beneficiou da desistência do francês Gilles Simon (27.º), lesionado no pescoço, ao fim de 10 minutos e quando o número três mundial liderava por 3-0. Nadal lidera a conta-corrente com Federer por 14-8, mas o suíço lidera o registo de encontros realizados em “hardcourts”, por 5-2, e ganhou o último embate, em Novembro, no Masters de Londres -- a 18.ª vez que os dois se defrontaram numa final, aproximando-se do recorde detido por John McEnroe e Ivan Lendl que discutiram 20 finais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.