Rafael Nadal ficou mais satisfeito por não ter sentido dores do que propriamente pela vitória sobre Mardy Fish, por 6-3, 6-3, 5-7 e 6-4, que o coloca nas meias-finais do torneio de Wimbledon. A ressonância magnética, realizada na véspera, tranquilizou-o e os fortes analgésicos que tomou antes de entrar no court n.º1, permitiram-lhe jogar sem acusar a lesão no calcanhar esquerdo, contraída nos “quartos”, quando defrontou Juan Martin del Potro.

«Pensava que me tinha magoado seriamente, Afinal, está tudo bem. A dor não me preocupa porque a lesão não se pode agravar muito mais. Sei que vou poder jogar a cem por cento», disse Nadal, aliviado, depois de eliminar Fish, o melhor norte-americano no “ranking” ATP, onde figura no nono posto.

Nas meias-finais, o líder da tabela ATP volta a encontrar Andy Murray, quarto nessa hierarquia. O escocês voltou a mostrar-se bastante sólido para derrotar o espanhol Feliciano Lopez (44.º), por 6-3, 6-4 e 6-4, e lidar com as expectativas de o ver tornar-se no primeiro britânico a erguer o troféu desde 1936.

«Vou precisar de uma melhor estratégia de jogo do que em 2010. Sei que vai ser incrivelmente difícil e que vou passar por momentos difíceis, mas devo saber ultrapassá-los se quero ganhar. Conheço a amplitude da tarefa, mas é bom estar fresco mental e fisicamente para abordá-la», explicou Murray.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.