A tenista bielorrussa Aryna Sabalenka, de 25 anos, dominou completamente a final do Open da Austrália, face à chinesa Zheng Qinwen, revalidando sem dificuldades o título feminino do primeiro Grand Slam do ano.

Sabalenka, segunda cabeça de série em Melbourne, venceu Zheng, 12.ª, em dois ‘sets’, pelos parciais de 6-3 e 6-2, num embate que durou apenas uma hora e 16 minutos.

A bielorrussa, de 24 anos, arrebatou o 14.º título WTA da carreira, na terceira final de um torneio do ‘Grand Slam’, duas na Austrália (2023 e 2024) e uma no US Open (2023).

Depois de se ter estreado a ganhar um ‘major’ há um ano, com uma complicada vitória face à cazaque Elena Rybakina (4-6, 6-3 e 6-4), também na Rod Lever Arena, a bielorrussa foi, desta vez, implacável, vencendo por 6-3 e 6-2, em uma hora e 16 minutos.

“É fantástico conquistar pela segunda vez este torneio, depois de duas semanas fantásticas. Estou muito feliz, sem palavras”, afirmou Sabalenka, deixando agradecimentos à família e à equipa técnica, além de elogios à sua adversária na final.

Sabalena, número dois mundial, tornou-se a primeira jogadora a revalidar o seu primeiro título do ‘Grand Slam’ desde que a compatriota Victoria Azarenka bateu a chinesa Li Na na final do Open da Austrália de 2013, sendo essa também a última vez que uma jogadora tinha ‘bisado’ o triunfo em Melbourne.

A bielorrussa, que não tinha perdido qualquer ‘set’ ao longo do torneio, entrou logo de forma demolidora e quebrou o serviço de Zheng logo à primeira oportunidade, para uma prematura vantagem de 2-0.

No terceiro jogo, Sabalenka ainda esteve a perder por 0-40, enfrentando três ‘break points’ consecutivos, mas ganhou cinco pontos de ‘rajada’ e fez o 3-0, vantagem que manteve até final do ‘set’ (6-3), sem nunca vacilar no serviço.

A história repetiu-se no segundo ‘set’, com a bielorrussa a vencer logo o primeiro jogo, no serviço de Zheng, também para não mais perder o controlo do encontro.

Sabalenka chegou sem problemas a 5-1, depois de mais um ‘break’, no quinto jogo do segundo ‘set’, e, com 5-2, só teve mesmo dificuldades para fechar o embate, o que só conseguiu ao quinto ‘match point’ e depois de enfrentar um quarto ponto de ‘break’.

Após 76 minutos, a bielorrussa selou uma inquestionável vitória por 6-3 e 6-2, para selar o seu segundo triunfo na Austrália e também o segundo no ‘Grand Slam’.

Com este triunfo, que lhe valeu o 14.º título WTA, Sabalenka também passou a ostentar um balanço positivo em finais de ‘majors’, pois só perdeu uma, no US Open, em 2023, face à norte-americana Coco Gauff, da qual já se ‘vingou’ nas meias-finais da edição 2024 do Open da Austrália.

Na sua primeira final de um Grand Slam, Zheng, 15.ª da hierarquia mundial – vai trepar para o sétimo na segunda-feira -, não conseguiu dar grande réplica à bielorrussa, mantendo-se com dois títulos WTA, aos 21 anos.

“Parabéns à Aryna, que fez um grande jogo. Foi a minha primeira final de um Grand Slam e estava um pouco nervosa, mas foi uma boa experiência para mim, mesmo sabendo que podia ter feito melhor”, afirmou Zheng, ainda no ‘court’ da Rod Lever Arena.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.