A ucraniana Dayana Yastremska foi provisoriamente suspensa por doping, depois de acusar uma substância proíbida num teste à urina, e prefere, para já, não recorrer da acusação, informou hoje Federação Internacional de Ténis (ITF).

O laboratório credenciado da Agência Mundial Antidopagem (WADA) em Montreal, no Canadá, detetou a presença de mesterolona na amostra de urina entregue pela atual 29.º classificada do ranking WTA, em 24 de novembro de 2020.

Através de um comunicado publicado na rede social Twitter, a ucraniana mostrou-se “chocada”, deixando claro que “nunca tomou qualquer produto para melhorar o rendimento ou substâncias proibidas”.

“Só foi detetada uma concentração muito baixa de mesterolona na minha urina. Devido a essa concentração baixa e ao meu teste negativo duas semanas antes, já recebi conselhos científicos de que o resultado é consistente com algum caso de contaminação. Estou a trabalhar com a minha equipa e vou fazer tudo para limpar o meu nome”, escreveu Yastremska, de apenas 20 anos.

De acordo com a ITF, Dayana Yastremska tinha e mantém o direito de recorrer desta suspensão provisória, porém optou, até ao momento, por não o exercer.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.