A secretária de Estado do Turismo, Cecília Meireles, garantiu hoje que a regata Volvo Ocean Race de vela é o tipo de investimento com «retorno excelente», por posicionar Portugal como destino do mar.

Cecília Meireles esteve acompanhada pelo secretário de Estado das Obras Públicas, Sérgio Monteiro, na inauguração das instalações da Race Village em Pedrouços, juntamente com o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, e o vice-presidente da edilidade de Oeiras, Paulo Vistas.

O Turismo de Portugal é, aliás, o principal patrocinador do evento, com uma verba que ronda os três milhões, num montante global de 10 milhões de euros, repartidos pela Administração do Porto de Lisboa (quatro milhões), Lagos Sports (dois milhões) e Câmaras de Lisboa e Oeiras e Turismo de Lisboa (um milhão).

O investimento de quatro milhões de euros da APL justifica-se pela requalificação da zona da Doca de Pedrouços, que passará a ser usada como marina de grandes iates e de provas de náutica de recreio.

O «retorno» da aposta na maior regata de circum-navegação à vela começou já a ser «pago» com a cobertura mediática na inauguração da Race Village, um facto destacado por Cecília Meireles.

«Esta prova não só permite a vinda de muitos estrangeiros e turistas ao país, como leva a imagem do país a todo o mundo, Basta notar a quantidade de câmaras de televisão que estão aqui hoje presentes», referiu, lembrando que a Portugal será notícia até 10 de junho.

As instalações de Pedrouços mereceram já nota muito positiva do diretor-executivo da VOR, o norueguês Knut Frostad, que confirmou a presença de Lisboa na lista de três dezenas de cidades finalistas a acolher as próximas duas edições da competição (2014 e 2017).

João Lagos, promotor do “stopover” de Lisboa, reavivou o epíteto de “Dacar dos Mares” da Volvo Ocean Race, uma prova que, segundo sublinhou, é o quinto evento desportivo mundial e chega a mais de mil milhões de telespetadores e mais de milhão e meio através da Internet.

O corte da fita do complexo que até 10 de junho irá basear os seis veleiros da VOR aconteceu pelas 11:00, mas a chegada do primeiro veleiro está prevista para as 22:00, com direito a um curto espetáculo de fogo-de-artifício.

Sérgio Monteiro inaugurou as novas instalações da Doca de Pedrouços, em Algés, mas o batismo com uma garrafa de espumante acabaria por lhe valer um ligeiro corte num dedo da mão esquerda.

O “stopover” de Lisboa, para já, apresenta uma organização bastante superior à de Miami, nos Estados Unidos, de onde a frota largou a 20 de maio para a travessia Atlântica de 3.590 milhas náuticas (quase 6.500 quilómetros).

A entrada no recinto é grátis e os visitantes podem aceder a vários entretenimentos relacionados com a regata, entre os quais o cinema 3D, o simulador de um veleiro, o museu dos mares ou uma roda gigante.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.