Os quatro MOD70 e os Maxi 80 participantes na Route des Princes à vela partiram hoje de Lisboa com destino à Irlanda, após um percurso no Tejo entre a Praça do Comércio e a ponte 25 de Abril.

Com duas passagens pontuáveis, a primeira ao largo de Cascais na boia C1 e outra no “fastnet”, a frota de MOD70 prepara-se para enfrentar condições muito difíceis de mar e vento.

As principais dificuldades são esperadas junto ao Cabo Finisterra, dado que as previsões meteorológicas apontam para que os velejadores sejam recebidos por uma frente em que o vento pode soprar acima dos 35 nós.

A boa notícia, ainda de acordo com os organizadores da Route des Princes, é que «a manter-se o quadrante sul das previsões meteorológicas, os barcos podem não sofrer muitos danos».

«Ainda vamos ver como abordar a baixa pressão que se sente em Finisterra. A boa notícia é que vamos à popa e, portanto, vai ser uma etapa rápida», afirmou à partida Lionel Lemonchois, “skipper” do Maxi 80 “Prince de Bretagne”.

Lionel Lemonchois espera conseguir manter o Maxi 80 “Prince de Bretagne” na luta com os quatro MOD70, como aconteceu entre Valência e Lisboa, e ressalva que vai a ser a sua estreia em Dublin.

Os Multi50, que anteciparam para sábado a largada prevista para hoje, depararam-se com vento instável de direção e intensidade, e preparam-se para entrar na depressão centrada no Cabo Finisterra.

Esta manhã, o Actual e o FenêtréA-Cardinal estavam como numa regata de “match racing”, separados por uma milha.

A dez milhas de distância seguia o Arkéma – Région Aquitaine e a cerca de quarenta, o Rennes Métropole – Saint-Malo Agglomération.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.