A seleção portuguesa feminina de voleibol inicia sexta-feira com a Itália a primeira participação num Europeu, na Polónia, com “muita ilusão” e “motivada”, assegurou hoje o treinador adjunto Rui Moreira.

“A Itália é vice-campeã mundial, a Bélgica é sétima no ‘ranking’ da CEV e a Polónia é anfitriã. A Eslovénia, a quem ganhámos na European Silver League, e a Ucrânia são, eventualmente, as equipas mais ao nosso alcance”, disse o adjunto do brasileiro Francisco Santos.

Em Lodz, na Polónia, onde está sediado o grupo B, Portugal começa por defrontar a Itália, vice-campeã mundial (sexta-feira), seguindo-se a Polónia (sábado), a Eslovénia (domingo), a Bélgica, sétima no ‘ranking’ da CEV (27 de agosto) e a Ucrânia (29).

Rui Moreira considera que, mesmo assim, com dois adversários potencialmente do ‘mesmo campeonato’, nomeadamente Eslovénia e Ucrânia, a seleção portuguesa, para fazer “uma surpresa”, terá de se apresentar a um nível elevado.

“O nosso percurso vai ser sempre difícil, mas só assim poderemos usufruir ao máximo das nossas conquistas e construir a nossa própria história”, disse a capitã Vanessa Rodrigues, acrescentando que Portugal vai encarar os adversários de “igual para igual”.

Os quatro primeiros classificados de cada um dos quatro grupos qualificam-se para os oitavos de final, sendo que os apurados do A irão defrontar os apurados do C, o mesmo se passando com os do B, que cruza com o D.

Pela primeira vez na história da prova, organizada de forma inédita por quatro países, participam 24 seleções, divididas por quatro grupos de seis equipas, sediados na Turquia (grupo A), Polónia (B), Hungria (C) e Eslováquia (D).

No final do estágio conjunto com a seleção da Suíça, o selecionador nacional Francisco Santos reduziu de 16 para 14 a lista de jogadoras portuguesas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.