A Arábia Saudita voltou hoje a garantir que a explosão no passado dia 30 de dezembro que atingiu um veículo de assistência do Rali Dakar e feriu o seu motorista, o francês Philippe Boutron, foi um acidente.

"As autoridades competentes do reino coordenaram e informaram os especialistas do lado francês dos resultados da investigação, assim como [lhes proporcionaram] as fotos, a informação e as provas que têm sobre o acidente", realçou o Ministério dos Negócios Estrangeiros saudita em comunicado.

Isto, depois de o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Yves Le Drian, ter dito hoje a meios de comunicação gauleses que foi ponderada a hipótese de cancelar o Dakar2022 na Arábia Saudita, depois da explosão que atingiu um veículo, possivelmente relacionada com um "ataque terrorista", mas que os organizadores decidiram continuar.

No comunicado saudita, é assegurado o interesse das autoridades, em cooperação com a organização, na implementação de todas as normas de segurança e proteção aprovadas internacionalmente com o fim de manter a segurança dos participantes no Rali Dakar, e são enviados votos de rápidas melhoras a Philippe Boutron, gravemente ferido na explosão em Jeddah, a segunda maior cidade da Arábia Saudita.

No sábado passado, as autoridades sauditas já tinham descartado um ato criminoso neste caso para explicar o que chamaram de "acidente".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.