Nos últimos 10 dias decorreu o The International, as finais do campeonato do mundo de Dota 2, que levou ao rubro a Mercedes-Benz Arena, em Xangai, na China para ver as melhores 18 equipas da temporada a digladiarem-se no conhecido MOBA. Se dúvidas houvesse deste ser o maior evento de eSports do planeta, os números astronómicos do prize pool falam por si: 34,31 milhões de dólares, superando o já surpreendente prémio de 30 milhões oferecido na final do Fortnite World Cup. O prémio final do The International 9 baseou-se em crowd funding, ou seja, 25% da venda de qualquer Battle Pass do jogo reverteu para o “pote” monetário da final do campeonato mundial.

Quem levou para casa a maior “fatia do bolo” monetário foi a OG, que venceu o torneio pela segunda vez consecutiva, fazendo história por ser a única a conseguir atingir este marco. E se bisar foi surpreendente, é de salientar que a equipa venceu exatamente com a mesma composição de jogadores do ano passado, levando ao extremo a máxima que “equipa que ganha não mexe”. A equipa amealhou 15,6 milhões de dólares, o que distribuídos pelos cinco atletas de eSports calhou qualquer coisa como 3,1 milhões de dólares, ultrapassando o valor que o jovem Bugha amealhou na final de Fortnite.

The international

E se olharmos para esta história vencedora da OG, que este ano apresentou um rácio de vitórias de 100%, a equipa foi considerada no ano passado uma underdog, ou seja, a equipa que menos era favorita a ganhar o grande torneio de Dota 2 dada à sua formação apenas três meses antes do The International 8. No ano passado, a equipa amealhou 11,2 milhões de dólares pela vitória. Contas feitas, nas duas vitórias, a equipa bicampeã acumulou 26,8 milhões de dólares, e cada jogador 5,34 milhões de dólares. Segundo o Esports Earnings, os cinco elementos da OG (N0tail, JerAx, ana, Ceb e Topson) são os jogadores que mais dinheiro acumularam nos eSports.

A OG venceu a Team Liquid na grande final, equipa que veio a galgar a sua caminhada pela Lower Bracket, recordando que ambas dividiam o Top 3 do torneio com a PSG.LGD. E à semelhança do ano passado, a equipa francesa viria a sucumbir às mãos da OG, que a atirou a Lower Bracket, mas invés de repetir a final do ano passado, a formação do Paris San German sucumbiria às mãos da Team Liquid. Ao ficar no segundo lugar, a Team Liquid levou para casa o prémio de 4,4 milhões de dólares, enquanto a PSG.LGD amealhou 3 milhões de dólares.

Já os campeões, a formação OG, além do gigantesco prémio monetário, recebeu o seu segundo Aegis of Champions, o grande troféu do The International. E cada atleta leva ainda um anel especial e personalizado relativamente à equipa, inspirado naqueles que são entregues aos jogadores vencedores do Super Bowl.

Ainda sobre o The International 9 existem algumas estatísticas interessantes sobre as transmissões. Segundo a Escharts, o campeonato teve um total de transmissão de 122 horas (excluindo retransmissões), dando origem a quase 89 milhões de horas assistidas online. A média de espetadores em simultâneo foi de 727 mil, num total de 53,4 milhões de views em todos os canais oficiais na Twitch. É necessário destacar o pico de quase 2 milhões de views, sem contar com os chineses, alavancado pela partida da grande final.

The international

Já está escolhido o palco para o The International 10, que deixa a China rumo à Suécia, no mítico Globen em Estocolmo. O décimo campeonato, a ter lugar no próximo ano, é o regresso à Europa desde a inauguração da competição em 2011. Ainda não foram reveladas datas e outros pormenores sobre o grande evento de Dota 2.

The International 9

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.