As autoridades da Suíça terão pedido ao 'Football Leaks' informações potencialmente incriminatórias sobre o presidente da FIFA, Gianni Infantino. A notícia é avançada esta quarta-feira pelo jornal 'Público', que acrescenta que esse pedido foi feito ainda antes de a identidade de Rui Pinto como denunciante ter sido conhecida.

De acordo com aquela publicação, num e-mail enviado pelas autoridades helvéticas no final de 2018 e recentemente adicionado ao processo em Portugal no qual Rui Pinto responde pela autoria de 90 crimes, o procurador Damian K. Graf apresentava-se como responsável por uma investigação que dizia respeito às alegações de que Infantino teria atribuído vantagens indevidas a um outro magistrado suíço, investigação essa nascida a partir de informações divulgadas pelo 'Football Leaks'.

"Solicitamos que nos faculte quaisquer documentos relevantes sobre as alegações supramencionadas, particularmente quaisquer e-mails trocados entre Gianni Infantino e Rinaldo Arnold, assim como quaisquer e-mails que mencionem Rinaldo Arnold", terá escrito o referido procurador no e-mail agora revelado pelo 'Público'. Rui Pinto terá, depois, na resposta, mostrado disponibilidade para colaborar com esta investigação.

Recorde-se que Rui Pinto, criador do 'Football Leaks' está em liberdade desde 7 de agosto, encontrando-se, por questões de segurança, inserido num programa de proteção de testemunhas em local não revelado, sob proteção policial, depois de ter aceite colaborar com as autoridades.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.