Juazeiro, município do sertão brasileiro, com clima semiárido e propenso a longos períodos de estiagem, tem na agricultura sua principal atividade económica. Como tantas famílias do nordeste brasileiro, a família Alves da Silva sobrevivera em meio às mais rudimentares condições de trabalho no campo e ao impiedoso sol que raramente dá tréguas naquelas terras. Um dos filhos da família Alves da Silva, que desde os oito anos de idade acompanhava o pai na lavoura, decidira na adolescência tentar a sorte no futebol, e rumou para a capital do estado da Bahia, a cidade de Salvador, onde aos 18 anos profissionalizou-se com lateral-direito do Esporte Clube Bahia, no ano de 2001.

A partir daí, a vida de Daniel poderia ser descrita como uma epopeia, palavra que no dicionário remete à sucessão de eventos extraordinários, ações gloriosas, retumbantes, capazes de provocar admiração, surpresa e maravilha. Daniel Alves personifica a trajetória do pobre menino de uma esquecida região brasileira, que com esforço, dedicação e talento, ganhou o mundo. E ganhou mesmo, pois é o futebolista com mais títulos na história, 40 troféus ao total, incluindo três Ligas dos Campeões, duas Taças UEFA, campeonatos em Espanha, Itália, França, além de títulos pela seleção brasileira. Após quase duas décadas na Europa, decidiu por regressar ao país de origem, mas não para representar o clube de origem, o Bahia, mas a equipa do coração, o São Paulo.

E como quase tudo na vida de Daniel Alves tem contornos epopeicos, a estreia pelo São Paulo não poderia ser diferente. Frente ao Ceará, perante os adeptos tricolores, aos 40 minutos da primeira parte, a bola encontrou o novo dono da camisola 10 da equipa paulista, que sem dificuldades carregou-a e rematou para o único golo do jogo, que marcou também a estreia do lateral espanhol Juanfran, ex-Atlético de Madrid, no conjunto orientado por Cuca. O São Paulo, com reforços deste quilate para o restante da temporada, assume-se como uma das equipas que brigarão pelo título do Brasileirão, que está somente na jornada 15.

O líder Santos segue alternando boas e más exibições, e neste domingo foi derrotado pela terceira vez no campeonato, desta feita para o Cruzeiro por duas bolas a zero, que sob novo comando, do antigo guarda-redes Rogério Ceni, tenta sair do fundo da tabela de classificação. Outra equipa que demora a ganhar forma e ter exibições mais convincentes no Brasileirão é o Palmeiras, de Luiz Felipe Scolari. Frente ao Grêmio, em Porto Alegre, poucos motivos para Felipão sorrir, excepto pelo bonito golo de Dudu, um dos melhores avançados brasileiros da atualidade. Porém, David Braz, um defesa-central de poucas habilidades técnicas do Grêmio, acertou um remate espetacular de muito longe perto do minuto 90, igualando o marcador e fazendo o Palmeiras cair para o terceiro posto.

O novo vice-líder do campeonato é o Flamengo, cada vez mais pulsante com Jorge Jesus. No clássico frente ao Vasco da Gama, que, sem explicações razoáveis, que não as comerciais, foi realizado em Brasília, capital do país, e não no templo do futebol carioca, o Maracanã, os comandados de JJ mais uma vez deram espetáculo e golearam, num jogo de fortes emoções, ao melhor estilo de Jorge Jesus. Sempre com um poderoso trio ofensivo à disposição, o Flamengo está a fazer valer os caros reforços contratados para a época. No sábado, ainda a especular-se sobre uma possível contratação de Mario Balotelli, o polémico avançado italiano, que por fim acertou-se com o Brescia, os avançados do Flamengo foram fortes demais para uma frágil defesa vascaína. O extremo Bruno Henrique abriu o marcador com um golaço, a tabelar com o uruguaio Arrascaeta e fulminar as redes adversárias com um potente remate de longe. O Vasco ainda empataria com o central Castan, mas Gabriel, avançado que nada fez no Benfica no começo da época 2017/2018, segue a marcar golos e valer a alcunha de Gabigol, fez mais dois no jogo, e Arrascaeta, de penálti, deu números finais ao clássico, 4-1, a sexta vitória do Flamengo sob as ordens do cada vez mais sorridente mister Jesus.

As próximas semanas serão escaldantes para o futebol brasileiro, com a definição dos finalistas da Copa do Brasil e os quartos de final da Taça Libertadores, esta com dois confrontos nacionais, Flamengo x Internacional e Palmeiras x Grêmio. Se a vida segue confusa no país em tempos de Bolsonaro, ao menos o futebol dá-nos breves momentos de contentamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.