O estádio da Associação Desportiva Sanjoanense, do Campeonato de Portugal de futebol, foi assaltado duas vezes na última semana, uma “prática recorrente”, apesar dos prejuízos serem mínimos, afirmou hoje o presidente da Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do clube.

Segundo explicou Carlos Rui à agência Lusa, o primeiro assalto ao estádio Conde Dias Garcia foi na quarta-feira, sendo furtadas “ferramentas de pouco valor” e hoje, por volta da hora de almoço, os responsáveis do clube depararam-se com nova ocorrência, desta vez na zona dos balneários.

“Não são assaltos de grandes valores, mas é pelo incómodo. Andamos a mudar fechaduras e anomalias nas portas. Não é nada de extraordinário, mas é desagradável de resolver. Hoje, levaram umas luvas de guarda-redes, uma mala pequena de massagista, coisas pequenas. Não vale a pena estarmos a lamentar-nos, porque não foi nada de extraordinário. Somando tudo, o valor não é superior a 500 ou 600 euros”, afirmou o presidente.

O próprio referiu que estes casos não estão relacionados com a pandemia de Covid-19, visto que ocorrências deste tipo já aconteceram no ano passado, quando um grupo usou uma carrinha velha do clube e “fez manobras no relvado”.

“Como o estádio é antigo, e tem aberturas, há facilidade de entrar, apesar de termos tudo fechado. É uma zona deserta, nesta altura ainda mais, e isto é feito por gente jovem. Não são grandes assaltos, mas são coisas que vão perturbando, e não é de agora”, apontou, referindo que o caso está entregue à Polícia de Segurança Pública (PSP) de São João da Madeira.

De acordo o gabinete de relações públicas da PSP de Aveiro, que não tomou conhecimento da primeira ocorrência, o assalto que ocorreu entre as 19:00 de domingo e as 11:45 de hoje, está em “investigação”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.