As famílias de alguns jogadores ingleses de raça negra vão falhar o Euro2012 de futebol, por recearem atos de violência relacionados com racismo.

O antigo internacional inglês Mark Chamberlain, pai do futebolista Alex Oxlade-Chamberlain, convocado para o Europeu, disse hoje à Sky Sports ser mais provável ficar em casa do que viajar até à Polónia e à Ucrânia.

Tanto o governo inglês, como algumas organizações de direitos humanos, têm alertado para a possibilidade de atos racistas no decorrer da competição coorganizada por polacos e ucranianos e que se disputa de 08 de junho a 01 de julho.

«É uma grande preocupação. Penso que a segurança é mais importante do que um jogo de futebol», considerou Mark Chamberlain.

Na última semana, a família de Theo Walcott, companheiro de equipa de Alex Oxlade-Chamberlain no Arsenal, também disse que ficaria em casa pelas mesmas razões.

O defesa inglês Joleon Lescott, jogador do Manchester City e também convocado para o Europeu, já considerou ser uma vergonha que algumas famílias sintam que não podem marcar presença e que é um assunto a que se deve dar atenção.

A Inglaterra integra o grupo D do Euro2012, juntamente com Ucrânia, Suécia e França.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.