José Mourinho prometeu na apresentação como treinador do Real Madrid ser igual a si próprio e não perdeu tempo a provar essa ideia com os primeiros jogos psicológicos sobre o rival Barcelona.

"Cheguei muito jovem e não podia esperar ser treinador do Barcelona com 35 anos. Por isso saí a fazer pela vida noutro sítio. Mas é incrível, não paro de jogar contra eles. A partir daí criou-se um problema que não é meu, mas gosto de ganhar aos melhores e por isso posso dizer que gostei mais de eliminar o Barcelona nas meias-finais [da Liga dos Campeões] do que ganhar a final", confessou José Mourinho a uma rádio espanhola.

O técnico analisou a difícil missão que o espera no comando dos merengues, mas mostra-se tranquilo: "Cheguei ao Chelsea e ganhámos o campeonato depois de quatro décadas; cheguei ao Inter e ganhámos a Liga dos Campeões depois de quatro décadas e agora chego a Madrid depois de uma década sem êxito europeu. O Real Madrid não vive um momento dramático mas pela sua história e pelos seus adeptos vou pôr-me sobre pressão para ter alta motivação. Em breve voltarão a Cibeles."

Ronaldo, Kaká e Benzema foram as grandes contratações do Real Madrid no derradeiro defeso, mas o rendimento dos três jogadores foi significativamente diferente. De facto, Mourinho considerou que o jogador português fez um primeiro ano no Bernabéu "fantástico", ao contrário de Kaká e Benzema.

"Primeiro quero saber porque não renderam o ano passado. Preciso de informações dos próprios jogadores para entender porque é que Kaká e Benzema não jogaram à dimensão do seu estatuto", sublinhou. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.