Real Madrid e Barcelona defrontam-se esta noite no Estádio Mestalla, em Valência, na final da Taça do Rei, num jogo onde a Marcha Real vai ser «protegida» dos assobios e vaias dos adeptos catalães.

A final da época passada entre Barcelona e Atlético Bilbau (4-1) ainda está na memória dos espanhóis, não tanto pelo resultado, mas sim pelos assobios e vaias dos adeptos catalães e bascos aos reis de Espanha, que assistiam ao encontro nas bancadas, durante o hino espanhol.

Para evitar a situação embaraçosa da época passada, os acordes da Marcha Real vão ser ouvidos esta noite a uma intensidade de 120 decibéis, o que equivale a um avião a voar a baixa altitude, de forma a camuflar os mais que prováveis assobios catalães durante a execução do hino espanhol.

A decisão está a gerar polémica, uma vez que a intensidade sonora de 120 decibéis é já no limiar da dor, e muito acima do recomendável para a saúde, pois a partir dos 55 decibéis a intensidade sonora é prejudicial ao ouvido humano.

Após a final de 2009, a TVE, televisão responsável pela transmissão do jogo, foi acusada de censura por ter cortado a emissão durante a assobiadela ao hino de Espanha. Ao intervalo, o hino passou em diferido sem as reacções das bancadas, situação justificada por erro técnico.

A manipulação das imagens custou o cargo ao director de desporto da TVE, Juan Reys.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.