Dezassete anos depois de ter perdido Luís Figo, o Barcelona volta a ficar sem um jogador contra a sua vontade. Em 2000, o português rumou ao Santigo Bernarbéu por 62 milhões de euros. Agora, os valores pelo brasileiro são bem mais elevados e traduzem o que tem sido um mercado de transferências absolutamente louco: 222 milhões de euros.

A saída de Luís Figo para os 'merengues' provocou forte revolta junto dos adeptos dos 'blaugrana' e agora o mesmo está a suceder com Neymar, mesmo que a mudança deste não seja para um clube rival. Há já quem apelide o jogador de "mercenário" e "traidor".

Joan Gaspart, presidente do Barcelona entre 2000 e 2003, foi um dos que teceu comparações entre Neymar e Figo, criticando a forma como o brasileiro se comportou com os catalães.

"O Barça é mais que um clube e isso dizemos nós. Já vivi este tipo de situações. Neymar é como o capítulo de Figo: estava sozinho e agora vai estar acompanhado por Neymar", começou por dizer o antigo dirigente dos 'blaugrana'.

"Vi grandes jogadores como Maradona e Ronaldo, que eram melhores que Neymar, a saírem do Barça porque outros clubes pagaram as cláusulas de rescisão, mas saíram com dignidade, sem fazer tanta comédia e tantos joguinhos. Não gostei nada da atitude que teve com o clube, com os sócios e com os companheiros", acrescentou.

Gaspart ilibou o Barcelona de qualquer culpa no caso, considerando que Neymar "fez demasiado folclore".

"Andou a brincar ao jogo do malmequer: 'quero-te, não te quero', para no final sair do clube. Pois agora quem não o quer somos nós. Não é culpa de ninguém: nem da direção, nem dos companheiros nem dos adeptos. A culpa é de Neymar, que decidiu brincar connosco durante um mês", ressalvou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.