O Benfica saiu de Kiev com a missão mais do que cumprida: venceu, conquistou os três pontos e recolocou-se na corrida a um lugar de acesso aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Os argentinos Salvio e Cervi deram expressão ao controle benfiquista, num jogo onde o Benfica entrou como ´grande` mas venceu como um ´pequeno`. Os quatro pontos deixam os ´encarnados` na luta pelo apuramento e uma vitória na próxima ronda frente a este mesmo adversário na Luz pode colocar o Benfica com um pé e meio na próxima ronda. No outro jogo o Besiktas venceu em Itália por 3-2 e até agora é difícil dizer se este foi um resultado bom ou mau para o Benfica.

Resumo
Estes jogos de Liga dos Campeões são muitas das vezes ganhas pelas equipas mais pragmáticas. O Benfica tem melhor equipa que o Dinamo Kiev, é um facto, melhores unidades, mas não há jogos fáceis na Champions. Principalmente quando se joga fora. O Benfica agarrou-se a isso, aproveitou os erros dos ucranianos, marcou nos momentos certos e depois controlou. E quando perdeu o controlo, lá estava Ederson para repor a normalidade das coisas.

Para este jogo, Luisão manteve a titularidade e estreou-se na Champions. Pizzi voltou a ser 8 e fez dupla com Fejsa, Guedes manteve-se na frente e Cervi voltou a ser titular. O golo cedo de Salvio, na transformação de uma grande penalidade após asneira de Antunes, deixou o Benfica mais tranquilo. Já o Dínamo, muito contestado pelos adeptos, falhava em toda a linha: a defesa atrapalhava-se sozinha, o meio-campo não criava, o maestro Iarmolenko, muito marcado por Grimaldo, deu pouco a equipa. O ritmo era lento, muito jogo lateralizado, muitos passes falhados. O Benfica não se importou e, aproveitando os erros do adversário, soube gerir o jogo, marcando nos momentos cruciais. Aos dez, por Salvio, aos 55 por Cervi. Depois foi controlar, esperar o Dinamo na defesa, sair de vez em quando para o contra-ataque mas sem arriscar muito.

O jogo era de Champions e era preciso pragmatismo para sair de Kiev com os três pontos. E foi o que o Benfica fez. Mostrou muita eficácia, jogou feio quando era preciso, contou com a sua dose de sorte, recuou quando foi preciso. O resto foi feito pelo Dinamo que nunca encontrou formas de bater a última linha do Benfica.

Momento-chave
O Benfica fez o 2-0 aos 55 minutos, o Dinamo viu-se obrigado a reagir de pronto. Cinco minutos, Júnior Moraes aparece isolado frente a Ederson, pronto para relançar os ucranianos na discussão do resultado. O guarda-redes do Benfica levou a melhor, travou a intenção do seu conterrâneo, no melhor período do Dinamo Kiev. Depois foi gerir o resultado.

Melhores
Ederson: três intervenções decisivas no segundo tempo a negar o golo aos ucranianos em momentos complicados. Ajudou a manter a baliza a zeros.
Salvio: está claramente a subir de forma. Foi dos melhores no ataque do Benfica. Marcou o segundo golo na Champions
Gonçalo Guedes: ganhou o penálti que deu o 1-0. Procurou sempre levar o Benfica para a frente. Ganhou muitas faltas e foi importante para a equipa ter bola.
Pizzi: voltou a jogar a 8 e ajudou muito Fejsa na recuperação da bola. Saiu sempre com critério e ajudou a manter a posse quando foi preciso. Está num bom momento.

Piores
Dinamo sem ideias: esperava-se mais da formação orientada por Rebrov, uma equipa que jogava em casa e tinha (e ainda tem) ambições de seguir em frente. Muitos passes falhados, muita atrapalhação na defesa, meio-campo pouco criativo e lento e muitas más decisões no ataque. Agradeceu o Benfica.
Mitroglou: não marcou e esteve sempre perdido entre os centrais do Dimamo. Perdeu algumas bolas, tentou jogar da forma que não sabe (dribles) e fez duas faltas duras, uma delas a valer amarelo. Tem de render mais, apesar de o jogo também não ser fácil para ele que gosta de ser sempre bem servido.
Antunes: a forma como o lateral abordou o lance que deu o 1-0 é de uma ingenuidade tremenda. Nestes jogos de Champions, erros como aqueles pagam-se caro. Gonçalo Guedes já tinha perdido a bola, logo não se justificava o toque de Antunes no avançado do Benfica.

Reações


Rui Vitória: "Vencemos com muita personalidade"

Rui Vitória: "Temos de aproveitar as finais em casa"

Luisão: "Conseguimos mostrar o nosso futebol"

Salvio: "Estamos na luta e temos de continuar assim"

Antunes: "Abordei mal o lance da grande penalidade

Curiosidades


Com o golo marcado, Salvio fez oitona UEFA pel Benfica, igualando assim Diamantino, Simões e Rui Águas.

Salvio fica a apenas um golo de igualar Gaitán, como os argentinos com mais golos pelo Benfica na UEFA. Já leva dois esta época.

Em toda a história de competições UEFA, o Benfica apenas perdeu três dos 39 jogos em que esteve em vantagem ao intervalo.

Raul Jiménez voltou a jogar pelo Benfica, quase dois meses depois de ter contraído uma lesão na seleção mexicana.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.