Depois de se sagrar campeão na Alemanha, o Bayern Munique conquista agora a Liga dos Campeões pela sexta vez, ao bater o Paris Saint-Germain no Estádio da Luz. Um golo do francês Kingsley Coman, aos 59 minutos, foi o suficiente para os bávaros arrebatarem o seu sexto troféu na competição, juntando aos conquistados em 1974, 1975, 1976, 2001 e 2013.

Com este triunfo, a equipa de Hans-Dieter Flick consegue assim algo que nenhum emblema alcançou na história da competição: ser campeão vencendo todos os jogos disputados: seis na fase de grupos (Olympiacos, Tottenham e Estrela Vermelha) e cinco na fase a eliminar.

Em relação ao onze que bateu o Leipzig (3-0) na meia-final, Thomas Tuchel promoveu o regresso do guarda-redes Keylor Navas, recuperado de um problema físico. Hansi Flick também mudou apenas uma peça em relação à equipa que derrotou o Lyon (3-0) na ronda anterior, com Coman a assumir a posição de Ivan Perisic.

O Bayern começou com mais bola, mas foi do PSG a primeira grande oportunidade de golo. Aos 18 minutos, Mbappé isolou Neymar na área com muito perigo, o brasileiro rematou e Neuer negou o 1-0 com uma bela defesa. O brasileiro ainda tentou manter a jogada viva, mas o guarda-redes alemão estava lá outra vez.

Os bávaros não quiseram ficar atrás e aos 22' Robert Lewandowski recebeu um cruzamento de Davies no coração da área e rematou à meia volta para acertar no ferro, com Navas completamente batido. Logo a seguir foi a vez de Di María tentar a sorte, em boa posição, mas o remate com o pé direito saiu por cima da trave.

Aos 25' Jérôme Boateng saiu lesionado, dando lugar a Niklas Sule, numa fase em que o encontro estava bem mais agitado. Que o diga Alphonso Davies, que não teve uma noite nada fácil diante de Di María - belo pormenor aos 29'  a fazer uma 'cueca' ao lateral canadiano.

O jogo estava bastante dividido nesta fase, com momentos de grande perigo junto às duas balizas. Aos 31' Lewandowski cabeceou com perigo, já em queda e na pequena área, mas Keylor Navas estava atento e salvou os parisienses de males maiores.

Já em cima do intervalo, Mbappé recebeu um passe de Herrera e, no coração da área, sem marcação, atirou fraco para defesa de Neuer. A primeira parte terminou com o Bayern a reclamar uma grande penalidade, mas o árbitro nada assinalou.

O ritmo frenético da partida acabou por descer com o arranque do segundo tempo. Ainda assim, os nervos continuavam à flor da pele como se verificou aos 52 minutos, com os homens do PSG a caírem sobre Gnabry, na sequência de uma falta do jogador bávaro sobre Neymar.

Com tanta intensidade e emoção, a única coisa que estava a faltar era mesmo os golos. Mas era só uma questão de tempo porque aos 59' o Bayern Munique chegava à vantagem através de Kinglsey Coman: belo lance ofensivo dos alemães, a terminar num belo cruzamento de Kimmich na direção de Coman e o francês a aproveitar o espaço e a cabecear para o fundo das redes.

Coman esteve perto do 'bis' apenas três minutos depois, mas Thiago Silva afastou o perigo em cima da linha. Certo é que a equipa de Thomas Tuchel não desistiu de tentar a reviravolta, algo que já havia conseguido frente à Atalanta nos quartos de final.

Aos 70' Marquinhos surgiu na cara de Neuer, mas o guardião voltou a agigantar-se e evitou o golo do PSG. Já Neymar também tentou surpreender o adversário com um remate à entrada da grande área, mas a bola saiu ligeiramente ao lado.

O campeão francês lutou até ao fim - na compensação Neymar ainda viu Choupo-Moting falhar o desvio à boca da baliza - mas o Bayern conseguiu aguentar a vantagem, voltando a sagrar-se campeão europeu sete anos depois.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.