Uma grande exibição na Rússia permitiu ao Benfica vencer o Spartak Moscovo por 2-0, na 1.ª mão da 3.ª pré-eliminatória de acesso à Champions. Rafa e Gilberto fizeram os tentos dos Encarnados que ficam assim mais perto dos play-offs da prova, onde deverão defrontar o PSV. A equipa dos Países Baixos derrotou o FC Midtjylland por 3-0 na primeira-mão.

Veja as melhores imagens do jogo!

Regresso do 3-4-3 no reencontro com Rui Vitória

No ataque à fase de grupos da Champions, Jorge Jesus voltou ao esquema de três centrais, com Otamendi, Lucas Veríssimo e Verthongen, projetando Grimaldo e  o regressado Diogo Gonçalves nas alas. Rafa e Pizzi ficaram com os extremos, no apoio a Seferovic, e João Mário estreou-se de águia ao peito a nível oficial, ao lado de Weigl.

Neste que foi o 22.º duelo entre Rui Vitória, técnico dos russos, e Jorge Jesus, o Benfica tentava evitar os dissabores da época passada, quando foi afastada do acesso à fase de grupos da Liga milionária pelo PAOK, de Abel Ferreira, e falhou a 11.ª presença consecutiva na elite do futebol europeu.

Esperavam-se dificuldades para os Encarnados na Rússia uma vez que o Spartak Moscovo, vice-campeão russo na temporada transata, está mais avançado na época e já cumpriu dois encontros no seu campeonato, tendo perdido por 1-0 na estreia, no reduto do Rubin Kazan, e triunfado na segunda ronda, também fora, por 1-0, face ao Krylya Sovetov.

Mas a diferença de andamento não se viu em campo, onde o Benfica criou várias oportunidades e foi superior em todos os domínios.

O 'mel' estava nas laterais

Com Grimaldo e Diogo Gonçalves a darem dinâmica pelos flancos, Seferovic a sair para combinar com Rafa e Pizzi e João Mário aparecer mais perto da área, o Benfica criou um punhado de oportunidades no primeiro tempo, embora estivesse perdulário. Os russos entraram com mais bola mas no primeiro ataque, o Benfica criou perigo: Grimaldo desceu no seu corredor, centrou atrasado para Pizzi que rematou em zona frontal na área, contra Dzhikiya, aos oito minutos.

Nova oportunidade Encarnada no minuto seguinte, num cabeceamento de Diogo Gonçalves ao segundo poste para defesa fantástica de Maksimenko. Pormenor importante de Rafa no lance, a 'sentar' Rasskazov antes de centrar. Aos 17, novo lance claro de golo do Benfica, sempre criado nas laterais: Rafa meteu em Seferovic que levantou a cabeça e cruzou atrasado para o remate de Pizzi em zona frontal da área, por cima.

Era o melhor período do Benfica no primeiro tempo, a ter muita facilidade em entrar no último reduto contrário. Faltava meter a bola dentro da baliza.

Mas do outro lado o Spartak não estava só a ver. A equipa de Rui Vitória também tem uma palavra a dizer nesta eliminatória e promete ser um osso duro de roer. Aos nove minutos, Vlachodimos teve de voar para impedir que o centro de Larsson encontrasse um colega ao segundo poste. Aos 25, novamente o guarda-redes grego a mostrar serviço, a desviar com a ponta dos dedos um remate fortíssimo de fora da área de Umyarov. Aos 41, outra intervenção do guardião Encarnado a defender com os pés um centro de Ayrton.

Aos 37 minutos, Jorge Jesus foi obrigado a mexer na equipa, com a saída de Seferovic, com queixas nos gémeos, para lançar o jovem Gonçalo Ramos.

À direita, marchar e marcar

O segundo tempo arranca praticamente com o Benfica na frente do marcador, num lance simples mas eficaz, pelo lado direito. Rafa combinou com Pizzi na direita com uma tabelinha simples e rematou forte para o 1-0. Os russos mais uma vez a mostrarem-se permeáveis pelas laterais.

Em desvantagem, a equipa de Rui Vitória subiu mais no terreno, dando muito espaço atrás para os contra-ataques do Benfica, onde se destacavam Rafa e Gonçalo Ramos. Mas a equipa Encarnada continuava a pecar na definição.

A meio do segundo tempo, Jorge Jesus trocou Pizzi e Diogo Gonçalves por Everton e Gilberto, mudando assim por completo o lado direito.

A dinâmica manteve-se, com o Benfica a explorar bem as zonas laterais, onde o Spartak continuava em dificuldades. De bola parada também o Benfica criava perigo, como mostrou Gonçalo Ramos que ficou perto do 2-0 aos 70 e de uma carambola de bolas nas mãos dos russos na área que o árbitro deu canto, face aos pedidos de penálti dos Encarnados.

O Benfica aproveitou os espaços, tanto nas laterais como na zona central, para construir o 2-0. Lucas Veríssimo descobriu João Mário numa diagonal fantástica que acabou em canto. O central brasileiro encontro o mesmo espaço aos 74 minutos, com Gilberto a desmarcar-se bem, a reeber e a rematar forte para o 2-0.

Nos minutos finais, Jorge Jesus refrescou a equipa, com Gil Dias no posto de Grimaldo e Taarabt no lugar de Rafa, dando assim mais frescura ao lado esquerdo da equipa.

No próximo dia 10 de agosto, os Encarnados podem confirmar a passagem à fase seguinte quando receberem os russos na Luz.

Se o Benfica afastar o Spartak, os comandados e Jorge Jesus terão ainda de enfrentar o 'play-off', no qual vão medir forças com a equipa que sair do confronto entre o PSV Eindhoven e os dinamarqueses do Midtjylland, numa altura em que a eiminatória pede claramente para os holandeses (3-0).

No duelo entre Jesus e Rui Vítória, o atual técnico Encarnado alarga assim a sua vantagem: 14 vitórias de JJ contra quatro de Rui Vitória, 39 golos marcados e 13 sofridos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto