José Augusto, antigo jogador do Benfica, considera que o facto de os encarnados jogarem no Estádio da Luz a primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, contra o Borussia Dortmund, é uma "vantagem".

Com a experiência de ter participado na única eliminatória em que os dois clubes se cruzaram nas competições da UEFA - a Taça dos Campeões Europeus de 1963/64 -, o ex-futebolista do clube da Luz confessa ainda a "má recordação" desse duelo, sem deixar de reconhecer que "nessa altura, o Borussia tinha também uma boa equipa".

"Jogar em casa o primeiro jogo é realmente uma vantagem, mas essa vantagem tem de ser confirmada dentro das quatro linhas, como é óbvio. Temos a nossa massa associativa e contamos com ela. Penso que esse jogo poderá equilibrar o fator psicológico, com um bom resultado, na continuidade da disputa do campeonato", realçou em entrevista à Agência Lusa.

Com efeito, José Augusto acredita que esta eliminatória pode ter igualmente um impacto relevante na Liga NOS, que o tricampeão em título Benfica lidera, um ponto à frente do FC Porto, após a 21.ª jornada.

"São provas diferentes. Mesmo uma derrota ou um empate que o Benfica possa sofrer, é diferente da continuidade que temos de ter no campeonato nacional. Se for equilibrado, o Benfica continuará na senda. Não podemos é perder com um descalabro de golos", explicou.

Instado a avaliar o atual Borussia e aquele que defrontou, o antigo futebolista português refere que os alemães continuam a ser um "adversário difícil".

"Naquele tempo, a equipa do Borussia era diferente, obviamente, mas com valores mais afirmados. Este ano, o Borussia não tem tido uma carreira de nível e a sua classificação não é aquela que desejariam", explica.

Para superar o emblema germânico, José Augusto diz que a missão de pensar a melhor estratégia "é com Rui Vitória", mas sempre deixa alguns conselhos para os tricampeões nacionais poderem alimentar a esperança de seguir em frente na Champions.

"O facto de jogarmos em ataque organizado, é hoje muito difícil de fazer na Europa. Normalmente, explora-se muito mais o contra-ataque e os flancos. Para isso, terá de haver jogadas preconizadas no sentido de que a equipa possa, a partir do seu meio-campo, não deixar o seu adversário jogar. Temos jogadores com caraterísticas para poder ultrapassar essa situação", concluiu.

O Benfica recebe terça-feira o Borussia Dortmund, num jogo a contar para a primeira mão dos oitavos de final da Champions, agendado para as 19h45, no Estádio da Luz, em Lisboa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.