O Sporting saiu da Liga dos Campeões de futebol de cabeça erguida, após empatar 0-0 esta noite no terreno do Manchester City, na segunda-mão dos oitavos de final da prova. Os Leões, que tinham perdido na primeira-mão por 0-5 em casa, conseguiram travar um muito poupado City, que assim segue para os quartos de final, onde já estão Liverpool, Bayern Munique e Real Madrid.

Este foi o 100.º jogo do Sporting na Taça/Liga dos Campeões.

Veja as melhores imagens do jogo!

O jogo era de limpeza da imagem para o Sporting mas Rúben Amorim não quis arriscar muito e colocou em campo os homens com as melhores 'vassouras', de forma a evitar um novo descalabro, após o 0-5 da 1.ª mão. Tabata fez dupla de médios com Ugarte, Slimani acompanhou Paulinho na frente. No banco, muita juventude, com destaque para Essugo, Rodrigo Ribeiro e Renato Veiga, além de Edwards e Vinagre.

Já Guardiola, com muitas baixas (lesões), fez descansar Grealish, Rodrigo, De Bruyne, Mahrez, num jogo onde também levou muitos jovens para o banco.

Vendo as equipas iniciais, não se esperava o 0-5 da de Alvalade. O Sporting jogava sem a pressão do resultado, o City também só queria cumprir calendário e, se possível, com vitória.

A receita do 'chef' Amorim para este jogo era simples: equipa muito compacta atrás, muito solidária, a tentar fechar todos os espaços para a sua baliza. E, quando tinha bola, lançar Slimani e Paulinho para explorar o muito espaço que o City deixa nas suas costas. Foi dessa forma que Slimini foi isolado aos 24 minutos mas o argelino, muito lento, permitiu a recuperação de Laporte que cortou para canto. A receita foi repetida aos 31 minutos, agora com Paulinho a fugir a linha defensiva dos cityzens, a passar a bola sobre um contrário mas a perder para Ederson que foi rápido a sair.

Com os adeptos do Sporting a darem espetáculo nas bancadas do Ethiad, Adán ia tendo uma noite mais ou menos tranquila. Desviou com os punhos um remate forte de Phill Foden aos 25 e negou o golo a Sterling aos 39, num lance onde o inglês tentou fazer a bola passar por cima do guardião espanhol do Sporting. Aos 43 minutos é Neto a fazer um corte fantástico na pequena área quando Sterling preparava-se para encostar para golo.

Mahrez contra a maré, Paulinho de costas voltadas com o golo

O Sporting chegava ao intervalo a zeros no Ethiad, num jogo dominado pelo City mas sem forçar muito a marcha.

Pep Guardiola deu seguimento ao seu plano de gestão e lançou Mahrez e o jovem McAtee no início do segundo tempo, nos postos de Bernardo Silva e Phill Foden.

O argelino mexeu com o jogo do City e mostrou querer mais da partida. Aos 47 minutos, arrancou da direita, fletiu para o meio, ganhou um ressalto e deixou em Gabriel Jesus que bateu Adán para o 1-0. Mas o golo seria anulado por fora de jogo do brasileiro. O Sporting suspirava!

Era o primeiro sinal da reação dos ingleses. Aos 55 é Neto a cortar de forma fantástica na área, a evitar que o passe de calcanhar de McAtee chegasse a Gabriel Jesus. No minuto seguinte é Adán a travar, a dois tempos, um tiro de Gabriel Jesus.

Era hora de Rúben Amorim dar um sinal do banco. O técnicos dos campeões nacionais trocou Sarabia por Edwards e no primeiro lance em que interveio, o inglês causou pânico na área do City. Ederson teve de segurar o seu remate.

O City estava melhor, o Sporting também. Numa jogada de insistência pela direita, Slimani ficou à beira do golo mas Laporte apareceu na hora certa a cortar, aos 70. Aos 73 é Matheus Reis a ficar muito perto do golo: servido por Edwards, o lateral brasileiro entrou na área e rematou forte mas por cima.

Nova oportunidade, a melhor do Sporting aos 77, agora por Paulinho, a rematar de primeira na área para grande defesa de Scott Carson que entrou aos 74 no lugar de Ederson.

Aos 81 é Slimani a desmarcar-se na direita e a colocar na área para Nuno Santos (entrou no posto de Paulinho, enquanto Esgaio substituiu Pedro Porro) mas Laporte apareceu na hora certa.

Com o City sem pressão e meio perdido em campo, o Sporting aproveitou o muito espaço que teve para sair em contra-ataque nalgumas ocasiões, principalmente pela esquerda, corredor com muita dinâmica com Matheus Reis e Nuno Santos.

Destaque para a entrada do jovem avançado Rodrigo Ribeiro nos Leões, no posto de Slimani.

A parte final foi de sufoco para o Sporting, que tudo fez para segurar o 0-0. Aos 90+2, Stones atirou por cima após canto. Aos 90+3 é Sterling a trabalhar na área mas a rematar às malhas laterais, no último lance do jogo.

O Sporting segura o empate e deixa uma boa imagem na despedida da Champions. O Manchester City junta-se ao Liverpool, Bayern Munique e Real Madrid nos quartos de final da Liga dos Campeões.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.