Um golo de Pizzi em cima do intervalo coloca o Benfica em vantagem no marcador sobre o PAOK quando estão decorridos os primeiros 45' minutos do jogo da primeira mão do 'playoff' da Liga dos Campeões.

No regresso ao Estádio da Luz depois da vitória no Bessa frente ao Boavista, por 2-0, a contar para o campeonato, o Benfica apresentou-se esta terça-feira com uma ausência de peso no onze titular. Salvio ficou na bancada e para o seu lugar entrou o extremo Zivkovic. O PAOK apresentou Léo Jabá no corredor esquerdo e logo aos 5' minutos gritou-se golo nas bancadas da Luz com Gedson a fugir aos centrais adversários e a rematar para o fundo da baliza do PAOK, mas o lance acabaria por ser anulado por fora-de-jogo.

A reação do PAOK surgiu poucos minutos depois com um excelente remate de José Cañas, aos 14' minutos, à baliza de Vlachodimos. O remate do médio espanhol saiu a rasar à trave, mas por cima. A formação grega apresentou-se personalizada, com boa organização defensiva e acima de tudo com um meio-campo bem preparado para jogar em transições rápidas.

À passagem dos primeiros 20' minutos de jogo, o Benfica equilibrou as operações e passou a dominar de forma mais explícita o meio-campo. Aos 23' minutos, um cruzamento atrasado de Cervi encontrou Pizzi em boa posição de remate, mas a bola acabou por sair a centímetros do poste do PAOK.

Sem grandes argumentos para contrariar a pressão do Benfica, o PAOK tentou gerir a circulação, mas sem efeito. Cinco minutos depois de atirar ao lado da baliza do PAOK, Pizzi voltou a criar muito perigo com a tentativa de um 'chapéu' a Paschalakis, mas o guardião grego mostrou-se à altura e desviou para fora, com a a desviar caprichosamente na trave e a sair para fora.

E como não duas sem três, Pizzi voltaria a estar muito perto do golo aos 28' minutos depois de uma assistência de Zivkovic. O médio português ganhou espaço na área adversária e rematou, já em desequilíbrio, para defesa de Paschalakis.

Sempre com o pé no acelerador, a formação de Rui Vitória procurou de várias formas chegar ao golo inaugural antes da meia hora de jogo e com um jogador em destaque. Aos 29' minutos, Pizzi voltou a estar perto do golo com um cabeceamento a levar a bola a sair ao lado da baliza.

Já perto do intervalo, o árbitro do jogo assinalou uma grande penalidade a favor do Benfica por derrube de Gedson na área por Maurício quando se preparava para rematar. Chamado à conversão, Pizzi não falhou e atirou para o 1-0 com um remate forte e colocado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.