O sonho do Sporting em seguir para os oitavos de final da Liga dos Campeões conhecerá um novo capítulo esta quarta-feira, em Alvalade, quando os campeões nacionais receberem o Borussia Dortmund. Na antevisão à partida, Rúben Amorim garantiu que a sua equipa vai "dar o máximo para vencer" e respondeu aos rumores sobre o alegado interesse do Manchester United.

Jogo com o Dortmund: "Acredito sempre que a equipa é capaz de fazer mais e melhor. Sempre disse que estávamos aqui para competir, para passar, sabendo a diferença na experiência e no número de vezes em que o estamos cá em comparação com o Borussia. O Borussia era favorito do grupo, mas o Ajax mostrou que é a melhor equipa do grupo. Ainda assim, o Borussia está habituado a estes momentos. Vamos querer competir. O jogo de lá foi bem conseguido defensivamente, mas ofensivamente temos de melhorar. Sabendo que o empate dá vantagem ao Dortmund. Mas da mesma forma que acreditei depois da grande derrota que sofremos, não é por ter sido uma derrota que não posso ganhar o próximo. Sabemos que o Dortmund é favorito, que está habituado a estes momentos, mas vamos dar o máximo para vencer."

O que espera da equipa: "Quero que o Sporting entenda o momento do jogo, quando defender, quando contra-atacar, e se pudermos ter bola, como tivemos na Alemanha, mas onde não fomos agressivos no ataque. Fiz essa observação esta semana... Se pudermos ter bola, temos de ser mais agressivos. Estamos num melhor momento, temos o plantel todo, temos mais soluções, tirando o Jovane e o Vinagre. O que espero é uma equipa preparada para todos os momentos do jogo. O Dortmund vai empurrar-nos para a nossa baliza, mas nós somos fortes a defender. Agora temos de ser melhores ofensivamente e manter qualidade defensiva."

Associado ao Manchester United: "Estamos a falar de rumores. Na semana passada falei do futuro, está claro. Não dou grande importância a isso. O que posso dizer... Acho que o Manchester United devia levar o Erik ten Hag [treinador do Ajax, adversário do Sporting na última jornada] e já esta semana. Era algo que gostaria.".

Baixas do Dortmund: "Não acho que seja uma oportunidade de ouro, da mesma forma que não dei muita conversa quando tivemos as baixas, e se se lembrarem, no início da competição tivemos várias baixas. Vamos enfrentar o Dortmund, que continua a ter o Reus, o Witsel, o Bellingham, o Malen, o Guerreiro. É uma equipa habituada a estes momentos, que está a um ponto do Bayern mesmo com essas baixas todas, uma equipa que tem jogadores mais do que suficientes para mudar a sua equipa quando precisa, e da mesma forma que nos adaptámos com as várias baixas, eu vejo o Dortmund a fazê-lo. O Dortmund é capaz de vencer em Alvalade, mas temos de saber que também o somos."

Desconhecimento de Marco Rose: "Tanto faz. Não conhece o nome? É normal. Em Portugal também não me conheciam como treinador há três anos. Fiquei contente com o convite, ainda que não seja muito de beber. Espero sempre ganhar e lá estarei para o copo de vinho. Respondo depois do jogo consoante o meu estado de espírito."

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.