O Real Madrid, moralizado pela vitória na Taça do Rei, e o FC Barcelona protagonizam quarta-feira o terceiro de quatro “duelos” em 18 dias, agora na primeira “mão” das meias-finais da Liga dos Campeões em futebol.

Depois do empate em Madrid (1-1), que garantiu praticamente o “tri” ao “Barça” na Liga espanhola, o conjunto de José Mourinho, Cristiano Ronaldo, Pepe e Ricardo Carvalho (vai falhar o jogo, por castigo) venceu quarta-feira os catalães em Valência (1-0, após prolongamento) e chega por cima, em termos psicológicos, ao duelo europeu.

Nestes dois encontros, o protagonista acabou por ser o internacional luso Cristiano Ronaldo, que marcou de grande penalidade no Santiago Bernabéu (tal como Messi) e facturou de cabeça em Valência, a passe de Di Maria.

O “duelo” será intenso e começa logo pelo “duelo” entre os treinadores, que reeditam o choque das meias-finais da época anterior, quando Mourinho - então no Inter de Milão, campeão em título - afastou Pep Guardiola (3-1 em casa e 0-1 fora).

O encontro surge também depois num momento em que os dois emblemas se confrontam quatro vezes num curto espaço de tempo, para já com vantagem “merengue”.

Essa série de quatro “episódios” recomeça quarta-feira, em Madrid, e o Real espera ultrapassar o FC Barcelona pela terceira vez em meias-finais, como aconteceu em 1960 e 2002, anos em que venceu a competição.

Em 2002, O Real Madrid começou por vencer em Camp Nou, com golos de Zidane e de McManaman, e, com Figo de início, empatou depois em casa (1-1), com golos de Raul e Helguera (na própria baliza).

Quanto ao historial das duas equipas na mais importante competição europeia, o Real Madrid é líder incontestado: soma nove títulos e procura a 13.ª final, na 22.ª presença nas “meias”, marca que bate todos os restantes emblemas europeus.

O FC Barcelona, por sua vez, conquistou três vezes a “Champions”, duas após o nono sucesso “merengue” e disputa a sua 12.ª meia-final, tendo vencido cinco e perdido seis.

As meias-finais da Liga dos Campeões começam, porém, na véspera, com o embate entre o surpreendente Schalke 04 e Manchester United, que se defrontam na Alemanha.

Trata-se também de uma espécie de “clássico” entre nações rivais historicamente, mas inédito entre os dois clubes.

Para a equipa germânica, que na fase de grupos venceu o Benfica em casa (2-0) e na Luz (2-1), trata-se mesmo de uma estreia em fase tão avançada da competição, sucesso para o qual contribuiu o facto de ter ganho todos os jogos em casa.

Mas, o Manchester United, além da experiência acumulada e dos três títulos europeus, tem também esta temporada um registo impressionante: não sofreu golos fora, em cinco jogos (quatro vitórias e um empate).

Sendo esta a primeira vez que os dois emblemas se defrontam, o Schalke 04 jogará um poderoso trunfo: o espanhol Raul Gonzalez venceu a “Champions” por três vezes pelo Real Madrid, duas após afastar o United.

Os ingleses disputam a sua 12.ª meia final da prova e, até ao momento, apuraram-se em quatro dessas ocasiões.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.