O Benfica somou na noite desta quinta-feira a segunda vitória no grupo D, ao vencer na receção aos belgas do Standard Liege 3-0, e ficou mais próximo de se apurar para os 16 avos de final da Liga Europa de futebol.

Com esta vitória, o Benfica lidera o grupo D com seis pontos, os mesmos dos escoceses do Rangers, segundos e que hoje venceram na receção aos polacos do Lech Poznan por 1-0. Liege e Poznan ocupam as duas últimas posições sem qualquer ponto.

As equipas

A grande surpresa no onze do Benfica foi a inclusão de Diogo Gonçalves como lateral direito, que substituiu Gilberto. Além de Diogo Gonçalves e face ao jogo com o Belenenses para o campeonato, no corredor esquerdo da defesa surgiu Nuno Tavares para o lugar do lesionado Grimaldo.

Pedrinho ocupou o lugar que foi de Rafa, enquanto Pizzi e Gabriel fizeram a dupla de médios, que foi formada por Weigl e Taarabt na última partida.

Waldschmidt voltou à equipa inicial por troca com Seferovic.

Benfica
Equipa inicial: Vlachodimos; Diogo Gonçalves, Otamendi, Vertonghen e Nuno Tavares; Gabriel, Pizzi, Pedrinho, Everton, Waldschmidt e Darwin.
Suplentes: Samuel Soares, Helton Leite, Gilberto, Ferro, Jardel, Weigl, Chiquinho, Taarabt, Cervi, Rafa, Seferovic e Gonçalo Ramos.

Standard Liège
Equipa inicial: Bodart; Fai, Vanheusden, Dussenne e Gavory; Bokadi; Amallah, Cimirot, Bastien e Carcela; Oularé.
Suplentes: Gillet, Henkinet, Cop, Sylvestre, Boljevic, Avenatti, Jans, Pavlovic, Laifis e Landu.

O jogo

Os encarnados dominaram o encontro desde o primeiro e, apesar de algumas dificuldades pelo meio, a ver é que os belgas não deram muito trabalho ao guarda-redes Odysseas Vlachodimos. Desde o apito inicial que o Benfica se instalou no meio campo do Standard Liège, embora ao início tivesse problemas em ultrapassar a defesa adversária.

Com o passar do tempo, os homens de Jorge Jesus foram mostrando muita dinâmica, enquanto procuravam afincadamente o primeiro golo. Ao fim dos primeiros 25 minutos de jogo, os encarnados levavam sete remates, dois deles à baliza, enquanto o Standard Liège ainda não tinha feito nenhum... e assim continuou até ao apito para o intervalo.

A segunda metade do encontro começou logo com ação. Aos 48 minutos de jogo, Fai derrubou Waldschmidt na grande área e o árbitro assinalou penálti, que seria concretizado por Pizzi, que somou o quarto jogo consecutivo na Liga Europa a marcar. Nesta altura, o Standard Liège ia-se mostrando mais à vontade no jogo e até tentava sair, mas as linhas juntas dos encarnados não davam muita margem para manobra.

O primeiro remate dos belgas surgiu apenas aos 59 minutos quando na sequência de um canto de Amallah, Vanheusden ajeitou e atirou de pé esquerdo, valeu ao Benfica uma defesa apertada de Vlachodimos. O remate surgiu na sequência de uma distração da linha defensiva dos encarnados que quase custou caro à equipa.

Seis minutos depois, o árbitro voltou a apontar para a marcar dos onze metros depois de Nuno Tavares ser derrubado à entrada da área e, desta vez, foi Waldschmidt quem marcou. Aos 76 minutos aconteceu o grande momento do jogo. Depois de um atraso de cabeça de Seferovic e de corte incompleto de Laifis, a bola sobrou para Pizzi que rematou forte, sem hipótese para Bodart e para o golaço da noite.

Até ao final do encontro pouco mais houve a registar. Os encarnados conseguiram assim uma vitória justa contra um adversário que apenas conseguiu fazer um remate à baliza de Vlachodimos em todo o encontro. O Benfica alcançou assim a segunda vitória na fase de grupos da Liga Europa e a 7ª consecutiva em todas as competições.

O melhor

Com dois golos - um de grande penalidade e outro de encher o olho - Pizzi foi o grande destaque da noite desta quinta-feira. Além dos tentos apontados, o capitão dos encarnados assinou uma excelente exibição e mostrou-se determinante na dinâmica da equipa ao levar jogo aos homens da frente e na procura de espaços a explorar na defesa adversária.

O pior

Do lado oposto da balança esteve Pedrinho. O brasileiro saiu ao intervalo para dar lugar a Rafa Silva exatamente porque a sua prestação não convenceu. Mostrou pouca intensidade e dificuldades em acompanhar as ideias da equipa de Jorge Jesus.

As reações

Jesus: "Não me importo nada que o Benfica seja comparado ao Barcelona de há uns anos"

Jesus e a COVID-19: "Um estádio dos grandes pode ter 20 mil pessoas que não há problema nenhum. Aqui não são contagiados"

Pizzi: "A equipa nunca perdeu a cabeça. Foi uma vitória inteiramente justa"

Otamendi: "É um privilégio ser capitão desta equipa"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.