O Benfica segue invicto na edição 2020/21 da Liga Europa e segurou o primeiro lugar do Grupo D, mas a muito custo.

Numa noite de outono que se tornou muito chuvosa pouco depois do apito inicial do encontro, os 'encarnados' tiveram de superar uma autêntica tempestade escocesa para dobrar o cabo das tormentas e conseguir um suado, mas motivador ponto numa partida em que pareciam condenados à derrota, depois de mais de 70 minutos a jogarem com menos um homem. A salvação, contudo, estava no banco, e numa dupla começa cada vez mais a dar que falar.

Veja o filme do encontro em imagens

O jogo: Montanha-russa de emoções, muita chuva e acreditar até ao fim

O Benfica vinha de uma derrota pesada, no Bessa. O segundo contratempo da temporada, depois do adeus à Champions. Mas as perspetivas eram boas: cinco receções a equipas escocesas, cinco vitórias, dizia o histórico. E o início foi melhor ainda...praticamente no primeiro lance do encontro, Rafa (uma das novidades introduzidas no 'onze' por Jorge Jesus em relação ao desaire com o Boavista) fugiu pela direita, tentou servir Seferovic (outra novidade) e, na tentativa de cortar o esférico, Goldson fez autogolo.

Só que, de repente, começou a chover. Copiosamente. E a chuva (quase) tudo levou. Enquanto o dilúvio se fazia sentir, o Benfica pareceu desmoronar-se. Otamendi derrubou um adversário que se isolava e foi expulso, Diogo Gonçalves, infeliz, empatou a partida com um autogolo e dois minutos depois o Rangers colocava-se na frente do marcador, por Kamara, perante a passividade da defesa do Benfica.

A chuva, entretanto, parou, mas a tempestade ofensiva dos escoceses, em superioridade numérica, não. Nem mesmo com as alterações introduzidas por Jesus ao intervalo (troca dos dois laterais, com os jovens Nuno Tavares e Diogo Gonçalves a cederem o lugar a Grimaldo). O Rangers fez mesmo o 3-1 e ainda enviou uma bola ao poste. Parecia estar mais perto o quarto golo dos visitantes do que o segundo do Benfica. Mas Jesus tinha mais armas para lançar.

E seriam elas a dar mais uma volta a um jogo que foi mesmo uma montanha russa de emoções. Luca Waldschmidt e Darwin começaram por combinar com Rafa para este reduzir para 3-2, renovando a esperança encarnada e, depois, combinaram entre si, ao minuto 90+1, com o primeiro a servir o segundo para o 3-3 final. O Benfica, mesmo jogando 70 minutos com menos um e sendo durante largos períodos inferior ao adversário, acreditou até ao fim e foi compensado por isso.

O momento: Empate ao cair do pano, obra e graça de Darwin

Minuto 91. O Rangers vence por 3-2 e aproxima-se o final do encontro. Mas o Benfica ainda acredita. Porque minutos antes Darwin tinha assistido Rafa para o segundo golo das 'águias'. E a igualdade acaba mesmo por surgir. Passe perfeito de outro homem vindo do banco, Luca Waldschmidt, e isolado o uruguaio finaliza na perfeição para o 3-3.

O melhor: Darwin & Luca, golos e assistências Lda.

Se o Benfica conseguiu não sair derrotado, deve-o a estes dois homens que saltaram do banco a meio do segundo tempo, quando a sua equipa perdia por 3-1. Sobretudo a Darwin Nuñez, mas também a Luca Waldschmidt. O uruguaio começou por assistir, com um belo trabalho individual, Rafa para o 2-1, depois de lançado pelo alemão. Depois, fez ele mesmo o 3-3, não tremendo na cara do guarda-redes do Rangers, onde surgiu isolado por um fantástico passe de... Waldschmidt.

Os dois continuam, definitivamente a justificar o (elevado) investimento que o Benfica fez na sua contratação: Noite de emoções e peripécias mil no Estádio da Luz terminou com uma igualdade (3-3) no duelo entre Benfica e Rangers na 3.ª jornada do Grupo D da Liga Europa.  O alemão soma cinco golos e três assistências em nove jogos pelos 'encarnados' no conjunto de todas as competições, o uruguaio totaliza também cinco golos, mas seis assistências em dez partidas de águia ao peito.

O pior: Otamendi quase deitava tudo a perder

O defesa central argentino, contratado ao Manchester City para suceder a Rúben Dias, assumiu-se de imediato como titular no eixo da defensiva 'encarnada', mas cometeu já alguns erros desde a chegada à Luz. E o desta noite, frente ao Rangers, podia ter custado caro. Um jogador com a sua experiência devia saber que ao tentar passar nas costas de um adversário que se isola em velocidade corre o risco de o derrubar. Foi o que aconteceu, e viu o cartão vermelho numa altura em que o Benfica ganhava por 1-0. Seis minutos depois as 'águias' estavam a perder por 2-1...

Curiosidades

- O Benfica somou o 24.º jogo consecutivo sem perder em casa na Liga Europa, registo que constitui um novo recorde.

- Pela primeira vez, o Benfica não ganhou na receção a uma equipa escocesa, mas continua sem perder: depois de cinco vitórias nos cinco primeiros embates em casa com equipas da Escócia, agora um empate.

- O Rangers somou o seu sexto jogo seguido sem perder em solo português. O seu registo em Portugal é agora de 3 vitórias, 4 empates e 3 derrotas em dez jogos.

- Desde que chegou ao Benfica, em sete jogos Otamendi leva três cartões amarelos e um vermelho, igualando assim desde já o número de expulsões que teve na sua passagem pelo FC Porto...em 125 jogos (nos quais viu 34 amarelos).

- Luca Waldschmidt assistiu pela segunda vez Darwin Nuñez para um golo esta época. O contrário (Darwin a servir Luca para o golo) já ocorreu três vezes.

As reações

Jorge Jesus: "Hoje houve dois ou três jogadores que demonstraram uma crença de campeão"

Steven Gerrard: "Não gerimos bem o 3-1. Perdemos o controlo e temos de nos culpar a nós"

Darwin Nuñez: "Foi importante o trabalho de toda a equipa"

Taarabt: "Marcámos dois golos com dez homens em campo. Não é um mau resultado"

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.