O Clube do Chibuto atravessa uma grave crise financeira. A grande surpresa do Moçambola´2012 não consegue fazer face às despesas correntes e isto pode prejudicar a prestação da equipa no resto do campeonato. O clube tem um défice orçamental de 400 mil meticais, cerca de 11 400 euros.

A formação da província de Gaza tem um orçamento mensal de pouco mais de 17 mil euros, quantia insuficiente para cobrir as despesas. Segundo o presidente do Chibuto, Simão Cossa, até agora o clube tem conseguido pagar a tempo e horas mas no futuro isso pode não acontecer.

«Ter bons resultados não significa estar bem. Apostamos nos prémios de jogos para criar uma forte motivação na equipa e estamos agora a sentir o peso na balança, porque pagamos uma média de 10 mil meticais (287 euros) por jogador e o prémio por vitória é de quatro mil meticais (114 euros) por cada atleta», disse ao jornal moçambicano "Notícias".

O objetivo, segundo o próprio, é encontrar um forte patrocinador que assegure 80 porcento do orçamento mensal, para permitir que as contribuições de singulares se destinem a outros encargos.

«Felizmente até agora o clube não deve aos jogadores, mas estou a prever um futuro muito difícil se as condições prevalecerem. Veja só que tive de ceder a minha casa para o alojamento dos jogadores e técnicos, isto para dizer que esta é quase minha equipa. Arcava com tudo quando estávamos no "Provincial", mas agora a situação é outra», desabafou Cossa ao "Notícias".

O Chibuto é vice-lider do Moçambola, com 17 pontos, menos quatro que o líder Ferroviário de Maputo. Na época passada o clube de Gaza não estava na primeira divisão de Moçambique.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.