Cristiano Ronaldo reafirmou hoje que Portugal não é favorito na África do Sul, mas avisa que as equipas menos favoritas também podem ser campeãs mundiais de futebol, em entrevista ao site da FIFA.

“Não, como disse antes do Campeonato do Mundo, não somos favoritos. Mas isso não quer dizer que as equipas menos favoritas não possam ser campeãs mundiais. Julgo que algumas das selecções que estão neste Mundial têm algo a mais do que Portugal, isso não é segredo, mas nós vamos dar uma luta enorme. Vamos dar o nosso melhor e, assim, qualquer coisa pode acontecer”, referiu o avançado português.

Ronaldo sublinhou ser um “privilégio” e um “orgulho” ser capitão da selecção de Portugal: “O que é preciso para comandar uma equipa? Julgo que, antes de mais, não devemos de mudar a nossa maneira de ser por causa disso e, acima de tudo, temos de ser totalmente honestos”.

O “capitão” destacou ainda o espírito de boa camaradagem no seio da equipa: “Os meus colegas conhecem-me muito bem, tal como eu os conheço a eles e corre tudo às mil maravilhas. Somos um grupo de grandes camaradas, grandes amigos, uma verdadeira família. Só assim podemos ganhar e ter sucesso".

Na véspera da estreia de Portugal no Grupo G, frente à Costa do Marfim, Ronaldo recorda que grande parte da equipa nunca jogou em campeonatos do Mundo, podendo ser este um factor extra de motivação.

“Estamos todos muito felizes. Grande parte da equipa portuguesa nunca jogou num Mundial e, por isso, o entusiasmo é enorme.Além disso, estamos confiantes de que vamos jogar muito bem, que vamos fazer uma excelente competição. Felizmente, está tudo a correr bem”, sustenta.

O jogador português comentou ainda a estreia de África na organização de campeonatos do mundo de futebol: “Sim, claro que é diferente… É o primeiro Mundial realizado em África e, bem mais importante do que isso, joga-se no Inverno.   Mas, desde que chegámos, a nossa experiência tem sido brilhante e julgo que vai ser assim até ao último jogo da competição”.

Além de elogios ao seleccionador Carlos Queiroz, com quem trabalhou no Manchester United, a “estrela” da turma das “quinas” agradeceu o apoio que a selecção tem sentido desde a sua chegada à África do Sul.

“Os adeptos... Ah, claro que sabíamos que íamos ter aqui muitos portugueses a apoiarem a selecção e isso deixa-nos muito felizes.

Ter um apoio extra quando estamos dentro do campo é crucial. Por isso, gostava de aproveitar esta oportunidade para agradecer todo o apoio que nos têm dado até este momento”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.