A seleção norueguesa de futebol envergou hoje uma camisola com a inscrição “direitos humanos dentro e fora do campo”, em nova ação de denúncia da situação dos trabalhadores migrantes no Qatar, anfitrião do Mundial2022.

Haaland, Odegaard e os restantes colegas de equipa vestiram a camisola durante o hino nacional, antes do apito inicial da partida com Gibraltar, no arranque da qualificação europeia para o Campeonato do mundo.

Na terça-feira, o selecionador, Stale Solbakken, tinha dito que era necessário “tomar uma ação concreta”.

Vários clubes noruegueses já se manifestaram favoráveis a um boicote ao Mundial, depois de o jornal britânico The Guardian revelar que mais de 6.500 trabalhadores migrantes morreram no Qatar, desde a atribuição em 2010 da organização do Mundial àquele país, e 55% dos noruegueses afirmaram serem favoráveis a um boicote.

O assunto será debatido num congresso extraordinário das estruturas de futebol do país, em 20 de junho.

Na qualificação para o Mundial de 2022, a Noruega integra o grupo G, juntamente com Gibraltar, Turquia, Montenegro, Países Baixos e Letónia.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.