A seleção portuguesa de futebol colocou hoje um ponto final numa série de três fases finais de Mundiais sem vitórias a abrir, ao bater o Gana por 3-2, em Doha, no primeiro jogo no Mundial2022.

Em encontro do Grupo H, Cristiano Ronaldo, aos 65 minutos, de penálti, João Félix, aos 78, e Rafael Leão, aos 80, apontaram os tentos da formação lusa, enquanto André Ayew, aos 73, e Osman Bukari, aos 89, faturaram para os africanos.

Desta forma, Portugal - que ainda apanhou uma enorme susto nos descontos, valendo a escorregadela de Iñaki Williams, após roubar a bola a Diogo Costa - somou o primeiro triunfo a abrir a competição desde o 1-0 a Angola, em 2006.

Após esse triunfo, selado com um golo prematuro de Pauleta, apontado logo aos quatro minutos, Portugal tinha falhado o triunfo em 2010 (0-0 com a Costa do Marfim), 2014 (0-4 com a Alemanha) e 2018 (3-3 com a Espanha).

Tudo sobre o Mundial2022: jogos, notícias, reportagens, curiosidades, fotos e vídeos

Antes, Portugal começou com dois triunfos, frente à Hungria, por 3-1, no primeiro jogo de sempre em campeonatos do Mundo, em 1966, e à Inglaterra, por 1-0, em 1986, para, depois, sofrer o primeiro desaire, por 3-2, com os Estados Unidos, em 2002.

O conjunto das ‘quinas’ totaliza agora quatro vitórias, dois empates e duas derrotas nas estreias em Mundiais, sendo que, nas anteriores vezes que arrancou com triunfos, seguiu em frente em duas (1966 e 2006) e caiu numa ocasião (1986).

Depois de falhar a fase final das primeiras sete edições, Portugal conseguiu, finalmente, o apuramento em 1966 e, em Inglaterra, começou da melhor forma, ao vencer a Hungria por 3-1, em jogo do Grupo 3, que também incluía a Bulgária e o Brasil, de Pelé, então o bicampeão mundial em título.

No Estádio Old Trafford, em Manchester, a seleção lusa marcou logo no primeiro minuto, por José Augusto, que viria a ‘bisar’ aos 67, depois de Ferenc Bene empatar, aos 60. No último minuto, José Torres marcou o terceiro.

Portugal também bateria Bulgária (3-0) e Brasil (3-1), para vencer o agrupamento. Ainda eliminou a Coreia do Norte (5-3, após 0-3), com ‘póquer’ de Eusébio, melhor marcador da prova, com nove tentos, para cair nas ‘meias’, face à anfitriã Inglaterra (1-2).

Vinte anos depois, no México, a formação das ‘quinas’ voltou a começar em ‘grande’, ao vencer a ‘toda poderosa’ Inglaterra por 1-0, em Monterrey, onde Carlos Manuel, que já tinha marcado o golo do apuramento, na RFA (1-0), decidiu, aos 74 minutos.

Num Grupo F que poderia apurar três – como apurou -, Portugal, ‘mergulhado’ no ‘caso Saltillo’, parecia ter tudo para seguir em frente, mas, depois, já sem o guarda-redes Bento, que se lesionou, perdeu com Polónia (0-1) e Marrocos (1-3), e caiu.

A formação das ‘quinas’ regressou em 2002, mas, desta vez, entrou da pior forma, com um desaire por 3-2 face aos Estados Unidos, que, em Suwon, chegaram a liderar por 3-0, com golos de John O’Brien, Jorge Costa (própria baliza) e Brian McBride).

Beto ainda reduziu e um autogolo de Jeff Agoos, aos 71 minutos, deu esperanças ao ‘onze’ luso, mas já não foi possível evitar a derrota, decisiva para a eliminação, a juntar ao 0-1 a acabar com a coanfitriã Coreia do Sul. De nada valeu o 4-0 à Polónia.

Em 2006, na Alemanha, Portugal regressou às estreias vitoriosas (terceira, em quatro presenças), desta vez ao vencer Angola, em Colónia, por 1-0, graças a um golo de Pauleta, o seu único na prova, logo aos quatro minutos.

Na ‘rota’ para uma segunda presença nas meias-finais (desta vez a derrota foi face à França, por 1-0), Portugal venceu o Irão por 2-0 no segundo jogo e garantiu logo um lugar nos ‘oitavos’.

Quatro anos volvidos, na África do Sul, a seleção lusa defrontou na estreia a Costa do Marfim e ficou-se por um empate a zero, que serviu nas contas do apuramento, já que depois goleou a Coreia do Norte (7-0) e também empatou a zero com o Brasil.

A aventura de Portugal no Mundial de 2010 acabaria logo a seguir, nos ‘oitavos’, com um desaire por 1-0 com a Espanha, que viria a sagrar-se campeã.

Em 2014, a formação das ‘quinas’ viveu uma estreia de pesadelo, ao ser goleada por 4-0 com a Alemanha, vencedora com três golos de Thomas Müller e um de Mats Hummels, num embate em que Pepe foi expulso e Rui Patrício e Fábio Coentrão lesionaram-se.

Um empate com os Estados Unidos (2-2) e um triunfo tangencial face o Gana (2-1) ditaram, depois, o prematuro adeus ao Brasil.

Na anterior edição, Ronaldo teve uma estreia de ‘sonho’ e, com três golos, o primeiro de penálti e o último na execução soberba de um livre direto, aos 88 minutos, evitou o desaire luso face à Espanha, num jogo que terminou empatado a três.

Depois, Portugal venceu Marrocos (1-0) e, na última ronda, empatou com o Irão (1-1), ainda que com um susto sobre o final, seguindo para os ‘oitavos’, nos quais se despediu da Rússia, ao perder por 2-1 com o Uruguai.

Em 2022, a seleção lusa inverteu, finalmente, a tendência para falhar o triunfo no primeiro jogo, ao bater o Gana por 3-2, resultado que deixa Portugal bem colocado para conseguir um dos dois primeiros lugares do Grupo H.

A formação das ‘quinas’ volta a jogar na segunda-feira, frente ao Uruguai, que hoje empatou a zero com a Coreia do Sul, e fecha o agrupamento em 02 de dezembro, face ao conjunto comandado pelo português e ex-selecionador luso Paulo Bento.

- As estreias de Portugal em Mundiais:

Edição Data Local Adversário Resultado Desfecho

2022 24/11 Doha, Qat Gana V 3-2 ?

(Cristiano Ronaldo 65gp, João Félix 78, Rafael Leão 80/ André Ayew 73, Osman Bukari 89)

2018 15/06 Sochi, Rus Espanha E 3-3 Apurado

(Cristiano Ronaldo 04gp, 44, 88/ Diego Costa 24, 55, Nacho 58)

2014 16/06 Salvador, Bra Alemanha D 0-4 Eliminado

(Thomas Müller 12gp, 45+1, 78, Mats Hummels 32)

2010 15/06 Port Elizabeth, Afs Costa do Marfim E 0-0 Apurado

2006 11/06 Colónia, Ale Angola V 1-0 Apurado

(Pauleta 04)

2002 05/06 Suwon, Cor Estados Unidos D 2-3 Eliminado

(Beto 39, Jeff Agoos 71pb/ John O'Brien 04, Jorge Costa 29pb, Brian McBride 36)

1986 03/06 Monterrey, Mex Inglaterra V 1-0 Eliminado

(Carlos Manuel 74)

1966 13/07 Manchester, Ing Hungria V 3-1 Apurado

(José Augusto 01, 67, José Torres 90/ Ferenc Bene 60)

O SAPO está a acompanhar o Mundial mas não esquece as vidas perdidas no Qatar. Apoiamos a campanha da Amnistia Internacional e do MEO pelos direitos humanos. Junte-se também a esta causa. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.