Uma exibição sólida mas sem deslumbrar permitiu a Portugal golear a Nigéria por 4-0 em Alvalade, no único encontro de preparação antes do arranque do Mundial2022.  Mesmo sem acelerar muito, Portugal foi superior como mostram os quatro golos (dois de Bruno Fernandes, Gonçalo Ramos e João Mário) e os outros que ficaram por marcar.

Portugal estreia-se no Mundial2022 diante do Gana, no dia 24 de novembro às 16h00.

Veja as melhores imagens do jogo

No último teste antes do arranque do Mundial2022, havia a expetativa de ver que onze Fernando Santos ia colocar em campo, já que daqui sairiam pistas importantes sobre a equipa a apresentar na primeira jornada diante do Gana. O jovem António Silva saltou logo para a titularidade, ao lado de Rúben Dias, Diogo Dalot foi a escolha na lateral direita, Nuno Mendes no flanco contrário. No meio, William Carvalho, Otávio, Bruno Fernandes e Bernardo Silva formava o quarteto à frente de João Félix e André Silva.

A Nigéria, treinada por José Peseiro, tinha como missão apresentar as dificuldades que Portugal espera encontrar diante do Gana mas, o que se viu, foi algo diferente. Os nigerianos foram presa fácil e raramente incomodaram Rui Patrício.

Veja também:

+ Central António Silva é o estreante 58 na 'era' Fernando Santos

+ Gonçalo Ramos marca como estreante 59 de Fernando Santos

+ Mundial2022: Adeptos impedidos de entrar no Portugal-Nigéria com ‘t-shirt’ da Amnistia

Conexão Bruno-Bernardo-Otávio

Já Portugal tinha descoberto como bater a defensiva das Super Águias: Otávio fez o primeiro ensaio, num passe a rasgar a defesa para Bernardo Silva que serviu João Félix, mas o avançado não acertou na bola, aos cinco. Aos oito, novamente Bernardo Silva, o agitador, a descobrir Bruno Fernandes, mas o remate do médio saiu ao lado.

Feitos os ensaios, chegou a concretização. Aos nove minutos, João Félix meteu a bola em Dalot na direita, o lateral luso teve todo o tempo do mundo para dominar, encontrar o 'timing' certo para servir Bruno Fernandes que só teve de encostar para golo.

A falta de pressão dos médios nigerianos deixava a equipa lusa a pensar o jogo com muita à-vontade. Aos 19, Otávio voltou a descobrir Bruno Fernandes na direita, o médio que joga no Manchester United centrou, mas ninguém apareceu na pequena área para empurrar para golo. Dois minutos depois é João Félix a receber à entrada da área, sozinho, e a rematar colocado, com a bola a passar ligeiramente por cima.

José Peseiro não estava satisfeito com a sua equipa e ia pedindo mais pressão, mais concentração, e corrigindo posicionamentos, mas sem sucesso. O primeiro remate dos africanos só apareceu aos 31 minutos, por Simon, mas Rui Patrício defendeu sem dificuldades.

O 2-0 de Portugal estava a 'bater à porta' e 'entrou' aos 32 minutos, na transformação de uma grande penalidade. Mão na bola de Osaui-Samuel, o árbitro cipriota não teve dúvidas. Bruno Fernandes converteu, com a classe e calma de sempre. Bruno podia ter feito o hat-trick aos 44 minutos, após passe fenomenal de João Félix, a rasgar toda a defesa contrária, mas o médio foi displicente na área nigeriana e rematou ao lado.

Mais 'morno', mais Nigéria, mais golos de Portugal

Ao intervalo, Fernando Santos lançou Pepe, Raphael Guerreiro, Vitinha e João Mário nos lugares de Bernardo Silva, Nuno Mendes, Ruben Dias e Bruno Fernandes. Mais tarde entrou Gonçalo Ramos no posto de André Silva.

Foi um segundo tempo mais 'morno', com Portugal a trocar mais a bola, a acelerar menos vezes o jogo. Aproveitou a Nigéria para crescer, com as mexidas operadas por José Peseiro. Chukwueze (entrou no posto de Lookman) teve uma arrancada que António Silva teve de travar com um excelente corte, aos 50; aos 71, o jovem central português foi batido por Chukwueze, que entrou na área e rematou, para uma grande defesa de Rui Patrício.

Depois entrou em cena João Félix, a acordar a plateia em Alvalade, com dois lances vistosos; aos 73, num remate de pé esquerdo na área que bateu em Bassey e quase traia o guardião Uzoho; aos 75, novo remate do avançado luso, a sair a rasar o poste.

Já com Ricardo Horta no lugar de Otávio, a Nigéria vai beneficiar de uma grande penalidade, num lance entre Dalot e Osayi Samuel. Emanuel Dennis, que tinha entrado no lugar de Simon, atirou para defesa de Rui Patrício, ajudado também pelo poste.

Na resposta, surgiu o 3-1, de Portugal. Lance confuso à entrada da área, a bola sobrou para Raphael Guerreiro que meteu para Gonçalo Ramos encostar, na pequena área, aos 82 minutos. Aos 84, o 4-0: João Mário e Vitinha na jogada na área nigeriana, Gonçalo Ramos desviou de calcanhar para João Mário encostar ao segundo poste. Tudo fácil.

Um bom ensaio antes da estreia no Mundial2022 diante do Gana, no dia 23. Sem Cristiano Ronaldo, Bruno Fernandes e Bernardo Silva assumiram a batuta e guiaram Portugal a uma goleada sem contestação.

O SAPO está a acompanhar o Mundial mas não esquece as vidas perdidas no Qatar. Apoiamos a campanha da Amnistia Internacional e do MEO pelos direitos humanos. Junte-se também a esta causa. 

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.