Um advogado próximo das alegadas vítimas de abusos sexuais denunciou esta terça-feira que vários clubes ingleses estão a utilizar acordos de confidencialidade para encobrir o escândalo de pedofilia que está a abalar o futebol britânico.

Edward Smethurst, que ajudou a criar um organismo de apoio às crianças vítimas de abuso sexual, independente da Federação Inglesa de Futebol (FA), revelou que os futebolistas foram coagidos a assinar acordos de confidencialidade em troco de compensações financeiras.

O organismo, designado Offside Trust, foi apresentado na segunda-feira pelos promotores, entre os quais se incluem ex-futebolistas que foram alvo de alegados abusos sexuais, casos de Andy Woodward, Steve Walters e Chris Unsworth.

A comunicação social britânica revelou no domingo que o Conselho Nacional de Chefes de Polícia (NPCC, sigla em inglês), órgão que coordena as forças policiais locais, está a investigar 55 clubes, tanto profissionais como amadores.

O ex-jogador Davy Russell, do Charlton Athletic, de 50 anos, disse que enviou uma carta à FA, em 1986, a relatar os abusos sexuais de que foi alvo por parte de Eddie Heath, antigo ‘olheiro’ do Chelsea, e não obteve resposta.

A FA e os clubes ingleses foram acusados de terem abafado durante décadas inúmeros atos de pedofilia envolvendo um número ainda não determinado de vítimas, mas que poderá ser superior a 350 de acordo com um relatório divulgado pela polícia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.