Pep Guardiola negou que o seu contrato com o Manchester City tenha uma cláusula que lhe permita deixar o clube livremente ao fim da atual temporada.

No ano passado, o técnico assinou prolongou o vínculo com o City até 2021, mas a imprensa inglesa afirmou que o acordo prevê uma cláusula que permitiria a Guardiola deixar o cargo um ano antes.

Em conferência de imprensa antes do duelo de domingo com o Arsenal, para a Premier League, Guardiola negou a existência de uma cláusula de rescisão: "Não, não é verdade. Já falei de minhas intenções no clube há algumas semanas".

As especulações sobre uma eventual saída de Guardiola ganharam força com o facto do atual campeão inglês estar a 14 pontos de distância do líder da Premier League, o Liverpool, praticamente quase fora da luta pelo título.

Apesar da distância em relação ao primeiro colocado, o técnico do City negou que o City vá ao mercado na janela de transferência de janeiro para fortalecer o plantel, que vem tem vindo a sofrer com muitas lesões.

"Os jogadores que começaram a temporada são os que vão terminar a temporada", declarou, refutando um possível interesse do City pelo central holandês do Bournemouth, Nathan Ake.

Guardiola revelou que o atacante argentino Sergio Agüero e o central John Stones, que ainda se recuperam de lesões, não irão a jogo com o Arsenal em Londres, este domingo, enquanto o médio espanhol David Silva está em dúvida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.