Jogadores e lendas 'Gunners' como Cesc Fábregas, David Seaman e Tony Adams renderam o seu tributo pessoal a Arsene Wenger, que anunciou esta sexta-feira que irá deixar o banco do Arsenal após 22 anos.

O espanhol Cesc Fábregas, que esteve oito temporadas às ordens do francês, publicou uma foto junto a Wenger no Instagram com uma mensagem em que assegurou que o técnico foi "como um pai" para si.

"Nunca pensei que isto fosse acontecer, mas mostra a grande classe e dignidade que tem. Não vou esquecer a sua direção e o seu apoio. Teve fé em mim desde o primeiro dia e devo-lhe muito. Foi como uma figura paterna para mim", explicou o agora jogador do Chelsea.

Tony Adams, ex-capitão dos 'Gunners', recebeu Wenger na sua chegada a Highbury em 1996 e expressou também no Instagram a sua admiração pelo alsaciano.

"Obrigado por tudo Arsene. O melhor treinador da história do Arsenal", escreveu Adams junto a uma foto com o preparador.

Outra lenda do Arsenal, o guarda-redes David Seaman, lamentou a saída do gaulês e pôs no Twitter que é um "dia triste" e que "agora é hora, por fim, para mostrar respeito" aos troféus conseguidos por Wenger.

Gary Lineker, ex-jogador do Barcelona e Tottenham e atual comentador de televisão, agradeceu a Wenger, com o qual esteve no Nagoia Grampus do Japão, a sua contribuição ao Arsenal e ao futebol inglês em geral.

"Wenger vai sair no fim da temporada. Deu boa parte da sua vida ao Arsenal. Levou muito sucesso ao clube. Contribuiu muito ao futebol deste país. Obrigado e boa sorte, sr. Wenger", destacou Lineker no Twitter.

Robin van Persie, que esteve oito anos sob o seu comando, escreveu no Twitter que vai sempre ver Wenger como o seu "pai futebolístico", já que sob a sua direção teve a oportunidade de crescer "como pessoa e como jogador".

O capitão do Arsenal, Per Metersacker, também agradeceu a Wenger, dizendo que ele é uma das razões pelas quais está no clube londrino.

"É um momento muito emocional e vai haver tempo para o digerir, mas neste momento é muito triste", apontou.

Treinadores e rivais da Premier League como Mark Hughes e Jürgen Klopp também mostraram o seu respeito ao preparador de 68 anos e, em conferência de imprensa, deixaram a sua mensagem de apoio.

"Tivemos uma conversa há um par de semanas quando jogamos no Emirates. Ele parecia muito relaxado e talvez já sabia que o anúncio chegaria em breve, mas parecia estar de bom humor e contente com as suas circunstâncias pessoais", relatou Hughes, técnico do Southampton.

Klopp, por sua parte, não mostrou interesse em realizar uma carreira tão longeva na mesma equipa e sustentou que "não quer morrer num banco" e que se vai retirar "cedo".

Esta sexta-feira o Arsenal publicou um comunicado em que Wenger anunciava a sua saída após 22 anos no clube e após ter conseguido três títulos da Premier League e sete FA Cup (Taça de Inglaterra).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.