A explosiva entrevista de Cristiano Ronaldo a Piers Morgan continua a ser o tema do dia na imprensa desportiva internacional. O avançado de 37 anos deixou fortes críticas ao seu clube, o Manchester United, ao seu atual treinador mas também aos anteriores nos Red Devils, assim como aos antigos companheiros de equipa.

Jermaine Jenas, antigo internacional inglês e que em Inglaterra jogou no Tottenham, analisou a entrevista de CR7 para a BBC.

"Não vimos nada além da petulância dele ao longo da época, com a caminhada para o túnel [no jogo com o Tottenham]. É um jogador frustrado, sente que foi enganado ou algo do género. Hoje não parece correto para mim. Não vai ajudá-lo. A situação foi mal gerida no clube", disse Jenas, que confessou ainda estar "perplexo" com tudo o que disse Cristiano Ronaldo.

Já Jermaine Defoe, que também brilhou no Tottenham e jogou pela seleção inglesa, classificou de "dececionante" a entrevista do português.

"Penso que é bastante dececionante, para ser honesto. Ele não tem nada a provar por isso não consigo entender porque gostaria de mostrar o seu ponto de vista. Talvez o seu ego esteja um bocado amassado", frisou o antigo avançado inglês.

Na entrevista a Piers Morgan, Cristiano Ronaldo disse que sentiu traído pelo Manchester United e revelou que não tem qualquer respeito pelo treinador, Erik Ten Hag.

O avançado ficou de fora dos últimos dois jogos dos ‘red devils’, e agora prepara-se para embarcar para o Qatar com a seleção portuguesa, que ‘capitaneia’, para o Mundial2022.

Ao todo, soma esta época 16 jogos e três golos pelo clube inglês, depois de em 2021/22, época de regresso a Manchester, ter conseguido 24 golos, em 38 encontros.

Esta tem sido uma época ‘problemática’ para o ‘astro’ madeirense, que regressou ao United, em que jogou primeiro entre 2003 e 2009, após passagens no Real Madrid (2009-2018) e na Juventus (2018-2021), tendo começado a carreira no Sporting.

No verão, a sua possível saída do clube foi o principal tema de discussão do mercado de transferências e, quando não se concretizou, prometeu que daria uma entrevista para esclarecer o assunto.

Desde então, a sua atuação nos relvados tem sido intermitente, entre a titularidade, o banco de suplentes e a ausência dos convocados, como quando foi afastado dos treinos da primeira equipa por abandonar um jogo ainda a decorrer, tendo-se recusado a ser suplente utilizado.

Com 191 jogos pela seleção principal de Portugal, e 117 golos, junta-lhes 145 tentos pelo Manchester United, em 346 partidas, 451 pelo Real Madrid, em ‘apenas’ 438 encontros, e cinco pelo Sporting, em 31 jogos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.