A novela em torno de José Mourinho continua, mas desta vez, o técnico português não se deixou ficar. Depois das reações à pouca utilização de Marcus Rashford - depois da prestação do jogador no jogo entre Inglaterra e Espanha, a contar para a Liga das Nações - o treinador do Manchester United falou aos jornalistas na antevisão do jogo com o Watford e não poupou nas críticas.

"O Rashford não é o Solanke ou o Loftus-Cheek ou o Calvert-Lewin. É um jogador do Manchester United com um número incrível de jogos e minutos disputados ao mais alto nível e nas melhores competições possíveis", começou por dizer em resposta a quem o criticou por não utilizar o jogador.

De seguida, o técnico português decidiu relatar todos os jogos do avançado de 20 anos. "Em 2016/2017, o Marcus jogou 32 jornadas da Premier League, 11 jogos da Liga Europa, incluindo a final, três da Taça de Inglaterra e seis da Taça da Liga, incluindo a final, e a Supertaça Inglesa. No total, disputou 53 jogos, mas se queres falar de minutos, fez 3068. Se quiseres dividir por 90, jogou um total de 34,2 jogos. Em 2017/18, fez 35 jornadas da Premier League, oito jogos na Champions, cinco na Taça, três na Taça da Liga e a Supertaça Europeia. 52 jogos com 2676 minutos. Divides por 90 e dá um total de 29,7 jogos. Isto quer dizer que em duas temporadas, o Rashford jogou 105 jogos, 5774 minutos, 63 jogos completos e cinco finais", explicou o treinador do Manchester United.

"Assim, adeptos do United, com isto vos explico o que estamos a fazer com Rashford, Shaw, Lingard ou McTominay. Algumas pessoas, todos sabemos que têm dois salários, trabalham para clubes e opinam na imprensa. É natural, mas não é ético. Há quem se levante de manhã e a primeira coisa que tem na cabeça é o José Mourinho e o Manchester United. Isso dá-me pena, pois há coisas mais excitantes na vida", acusou Mourinho.

Mas o treinador não ficou por aqui e acrescentou ainda que "o mais importante de tudo é que o Rashford é um bom miúdo, um bom jogador e que sabe o que o Manchester United tem feito por ele. Começou na academia, teve o apoio de Van Gaal, depois o meu, um novo contrato, novo número na camisola e eleito para todos os jogos".

Já sei que no domingo vou ser duramente criticado por não utilizar o Marcus Rashford. Muitos dos rapazes [jornalistas] estão muito obcecados comigo, outros têm problemas e são uns mentirosos compulsivos. Mas desta vez a culpa [de não utilizar Rasford] não é minha. Ele está suspenso e por isso é bom que se lembrem disso e que essa é a razão para ele não jogar", explicou o técnico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.