É mais um caso que pode abalar o futebol mundial. A Liga Espanhola terá pedido à UEFA para investigar o Manchester City, por suspeitas de incumprimento do fair-play financeiro.

Segundo avança a televisão inglesa BBC, este poderá ser o segundo clube a ser investigado, depois do organismo europeu ter iniciado a investigação do Paris Saint-Germain.

Recorde-se que o presidente da La Liga, Javier Tebas, afirmou que o "financiamento com apoios do estado distorce as competições europeias e cria uma espiral inflacionada que irá, irreparavelmente, prejudicar a indústria do futebol"

A UEFA disse, na sexta-feira, que ia investigar se o PSG tinha infringido as regras designadas para controlar o excesso de gastos financeiros. Javier Tebas quer que seja examinada a história de “incumprimento do PSG”.

O Manchester City e o Paris Saint-Germain foram dos clubes mais gastadores neste mercado de transferências.

Segundo o site transfermarkt, o PSG gastou 238 milhões de euros, enquanto que o Manchester City gastou ainda mais, com 244 milhões de euros utilizados nas suas contratações.

No ‘mercado’ que fechou a 31 de agosto, o PSG despendeu 222 milhões de euros (ME) para ‘desviar’ o brasileiro Neymar do FC Barcelona, na que passou a ser transferência mais cara de sempre, e garantiu junto do Mónaco o empréstimo do francês Mbappé, adiando para 2018 a conclusão de um negócio que poderá valer 180 ME.

Já o City fez as aquisições milionárias do guarda-redes brasileiro Ederson (40 ME), proveniente do Benfica, e do português Bernardo Silva (50 ME), vindo do Mónaco juntamente com o francês Mendy (57 ME), o inglês Kyle Walker (51 ME) e do brasileiro Danilo (30 ME).

O PSG é detido pelo estado do Qatar, por via do fundo Qatar Sports Investments, desde 2011.

Já o Manchester City é detido pelo Abu Dhabi United Group desde 2008.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.