O Manchester United, clube em que atua o português Bruno Fernandes, condenou hoje os alegados abusos raciais direcionados nas redes sociais aos futebolistas Axel Tuanzebe e Anthony Martial, horas após a derrota com o Sheffield United (2-1).

“Todos no Manchester United estão indignados e revoltados com o abuso racial recebido através das redes sociais. Nós condenamos totalmente esse tipo de comportamento e é encorajador ver outros adeptos a condenarem também”, lê-se num comunicado dos ‘red devils’.

Em jogo da 20.ª jornada do campeonato inglês, em Old Trafford, o Manchester United foi surpreendentemente derrotado pelo último classificado da prova, tendo perdido a liderança da Premier League.

No segundo golo do Sheffield United, a jogada começa com uma perda de bola do avançado francês Martial e, segundos depois, já dentro da área, o remate de Oliver Burke, marcador do golo, foi desviado por Tuanzebe, defesa inglês nascido na República Democrática do Congo, ‘traindo’ o guarda-redes De Gea.

“Identificar estes idiotas anónimos continua problemático. Pedimos às plataformas que dirigem as redes sociais e às autoridades reguladoras que fortaleçam medidas para prevenir este tipo de comportamento. O Manchester United tem tolerância zero com qualquer forma de racismo ou discriminação”, frisou o emblema inglês.

Por esta razão, Tuanzebe eliminou a sua conta na rede social Twitter.

Entretanto, o capitão Harry Maguire também utilizou as redes sociais para apoiar os seus colegas de equipa, garantido que estão “todos unidos contra o racismo” e que a equipa “não vai tolerar” esse tipo de episódios.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.